Saiba mais sobre construção alternativa

Saiba mais sobre construção alternativa

Como ser sustentável sem abrir mão do bem-estar e do conforto? Se você está construindo o novo lar, essa é uma questão que provavelmente já passou pela sua cabeça. A boa notícia é que é possível ter uma casa bonita, de qualidade e verde. Como? Construção alternativa.

Descubra em nosso artigo como é possível construir com o mínimo de impacto no meio ambiente, adotando métodos e materiais diferentes da alvenaria tradicional. O resultado pode ser mais bonito, barato e durável do que você imagina!

 

O que caracteriza uma construção alternativa?

Construções alternativas são aquelas que usam materiais diferentes da alvenaria comum (tijolo de concreto ou cerâmica e cimento), modelo mais popular no Brasil. Esse diferente modo de produção vem conquistando cada vez mais adeptos entre arquitetos, engenheiros e pessoas que buscam menor impacto na hora de fazer a sua casa.

O ramo da construção civil é um dos setores que mais produzem resíduos, além de consumirem preciosos recursos naturais. Hoje, ele representa enorme obstáculo para o desenvolvimento sustentável das cidades, afinal, como produzir moradias sem causar tantos danos ao meio ambiente.

A retomada de métodos e materiais antigos, como o barro e o bambu, aliados à tecnologia de ponta permitem integrar o moderno ao clássico para criar moradias bonitas, que aproveitam ao máximo o seu entorno (luz do sol, circulação do ar). O resultado é maior rapidez no tempo de construção e versatilidade para transformar o projeto do lar dos sonhos em realidade, criando verdadeiras obras de arte para viver e ser feliz.

Uma construção alternativa leva em consideração o local onde será feita. Isso porque o clima tem papel fundamental para escolher o material mais adequado. Quem deseja morar à beira-mar, por exemplo, deve estar atento à alta umidade do ar, do solo e às temperaturas altas.

A ventilação e o controle da umidade devem fazer parte do projeto para aproveitar da melhor forma o lote escolhido. Varandas ao redor da casa, paredes finas, janelas grandes e tetos altos com aberturas são algumas das soluções possíveis para o lar.

Quais os métodos e materiais mais utilizados?

Para uma construção alternativa, são utilizados alguns materiais específicos que conferem a característica de sustentabilidade à obra. São eles:

Bambu

Abundante, renovável, com colheitas anuais sem prejuízo à natureza: o bambu já é utilizado há muitos anos no Oriente e por países vizinhos ao nosso, como Equador e Colômbia.

Planta flexível e durável, ela precisa apenas de um tratamento de esterilização contra pragas para ser usada em revestimentos, telhados e como parte da estrutura. Outro benefício do bambu na construção alternativa, é que ele pode ser aproveitado para mobiliário e elementos decorativos.

Pedra

A pedra é outro material utilizado há muito tempo. Basta pensar nas pirâmides do Egito ou nos templos gregos para ter uma ideia. E não é para menos: durável e com ótima resistência climática.

As pedras podem ser usadas como estrutura ou revestimento e conferem charme extra quando usadas na fachada como contraste à textura lisa e uniforme da parede finalizada com tinta.

Adobe

Assim como no caso do bambu e da pedra, o adobe é outro material antigo, com uma técnica de construção simples e que não agride ao meio ambiente. Composto por terra crua, água e palha, ele é a solução perfeita para o clima quente do nosso país, pois atua como isolante térmico.

Esse tipo de construção é bastante comum no Norte e no Nordeste brasileiros, mas vem conquistando outras regiões como uma ótima alternativa à alvenaria. O acabamento é rústico e avermelhado, mas pode ser finalizado ou rebocado com produtos à base de cal.

Tijolo ecológico

Feitos de terra, cimento e água, os tijolos ecológicos não são queimados e, por isso, não emitem gases poluentes na produção, como acontece com o de cerâmica. O uso de cimento é reduzido a apenas 10% da composição. Já o solo usado pode ser retirado de praticamente qualquer lugar, não ficando restrito a áreas de proteção e mananciais, como é o caso da argila.

A engenharia no design do tijolo ecológico merece igual atenção: ele apresenta encaixes que ajudam a travar a peça no lugar, diminuindo custos com o uso de argamassa, concreto e aço, gerando menos entulho e, consequentemente, diminuindo o impacto da obra.

Materiais reaproveitados

Não poderíamos falar em construção alternativa sem abordar a técnica do reaproveitamento. O arquiteto norte-americano Michael Reynolds é um dos expoentes mundiais no assunto, criando moradias únicas, cheias de estilo e totalmente feitas com lixo reciclável (metal, plástico, madeira) e tecnologias verdes. O interessante é que o resultado são casas belíssimas, com design único, além de autossuficientes, com 50% do terreno voltado apenas para horta e pomar.

Pneus, latinhas, garrafas, vidros, madeiras: tudo pode ser usado como base para construções duráveis, resistentes e inerência térmica (garantindo conforto dentro da casa quando estiver calor lá fora).

E não vamos nos esquecer dos contêineres, um dos meios mais eficazes e baratos de reaproveitar. Você não precisa ser tão radical quanto Reynolds, mas pode aprender a aproveitar o que seria descartado — e demoraria centenas ou milhares de anos para se decompor — e integrar novas tecnologias para fazer o seu lar.

Por que investir em construção alternativa?

Na verdade, a resposta para essa questão é outra pergunta: por que não? Embora ainda não seja tão popular, os métodos e materiais das construções alternativas apresentam muitos benefícios, para você e para o planeta. Além disso, eles permitem que você abrace o design que mais o agradar, com uma finalização de muito bom gosto e com aparência tão luxuosa quanto da alvenaria comum.

A sustentabilidade é o primeiro aspecto a ser levado em consideração. A preocupação com a produção e o descarte do lixo é uma realidade e precisamos nos adaptar para garantir um futuro melhor para as novas gerações.

Ao reaproveitar materiais ou usar aqueles produzidos de forma mais ecológica, você faz a sua parte para difundir novas técnicas e mostrar como é possível ser verde sem deixar de ser bonito!

Outro aspecto é o valor final da obra. Dependendo da técnica usada, é possível reduzir os gastos com a compra de materiais e o tempo de construção, como no caso dos contêineres e do reaproveitamento.

Contudo, mesmo que o investimento inicial seja mais alto, esse é um investimento que vai se pagar com o tempo, pois, ao aderir às tecnologias verdes (reaproveitamento de água, energia solar), você vai experimentar uma diminuição sensível nas contas da casa.

Percebeu como a construção alternativa pode ser interessante? Agora, não se esqueça de consultar especialistas e decidir junto ao arquiteto e ao engenheiro como você vai usar essas diferentes possibilidades para deixar o lar lindo, ecológico e sustentável.

Agora, é momento de pensar na área de lazer. Aproveite a sua visita em nosso blog e descubra quanto custa construir uma piscina e como é feita a sua construção!

Posts relacionados