países com melhor qualidade de vida

5 iniciativas de outros países que melhoram a qualidade de vida das pessoas

A grande maioria das pessoas busca a melhor e mais confortável maneira de viver. A dedicação com afinco ao trabalho serve para ter condições de investir em soluções que tragam felicidade e bem-estar para si e para a família.

O local que escolhemos para viver é uma das importantes decisões que tomamos a esse respeito. Quando conhecemos países com melhor qualidade de vida do que o nosso, fica fácil perceber os benefícios que eles oferecem à população. Portanto, que tal aproveitar as lições que eles ensinam para melhorar o seu dia a dia, dentro do seu país?

Ficou curioso? Confira o ranking dos países, entenda as razões que os fazem se destacar e descubra algumas formas de aplicá-las à rotina!

 

Quais os países com melhor qualidade de vida?

O ranking abaixo é divulgado pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), uma organização internacional composta por 35 países de diferentes continentes e outras nações parceiras (como é o caso do Brasil).

O mais interessante é que eles levam em consideração diversos fatores (falaremos sobre eles adiante) que atuam em conjunto, mostrando ao mundo o que é preciso para ter uma vida mais feliz.

Confira os resultados de 2017:

5º lugar: Dinamarca

A capital da Dinamarca, Copenhague, é conhecida pelo planejamento de mobilidade urbana. O governo investiu pesado para que os seus 500 mil habitantes pudessem rodar com suas bicicletas em quase 350 quilômetros de ciclovia. Mais da metade das pessoas usam bicicletas como principal meio de transporte. Esse é apenas um exemplo que mostra porque esse país ocupa o quinto lugar no ranking de países com melhor qualidade de vida.

Os dinamarqueses também podem se gabar dos altos investimentos em soluções sustentáveis. Um exemplo é o uso de telhados verdes nas construções comerciais, que se tornou lei na capital. A razão é nobre: as plantas ajudam a absorver a água da chuva, impedir as inundações e diminuir a variação de temperatura, além de ser um espaço para cultivar plantas para o consumo próprio.

4º lugar: Suíça

Outro pequeno gigante da nossa lista de países com melhor qualidade de vida é a Suíça. Ela ocupa a quarta posição quando a questão é a satisfação e a qualidade de vida. Esse fato é o resultado do bom equilíbrio entre vida profissional, social e pessoal, além dos planos e políticas de saúde que ajudam a tratar doenças e envelhecer com saúde.

A segurança também é motivo de alegria para os suíços: espaços abertos e que convidam à caminhada, sem muros para dividir o espaço. No país, são oferecidas condições tranquilas e seguras para seus habitantes, sem a necessidade de criar compartimentos fechados.

3º lugar: Noruega

A Noruega caiu para a terceira posição desde a última pesquisa divulgada pela OCDE, mas nem por isso deixa de ser uma nação com ótima qualidade de vida e com ótimos exemplos para nos inspirar. O país ocupa o primeiro lugar em satisfação pessoal e em segurança de acordo com a pesquisa.

Quando o assunto é mobilidade urbana, a capital norueguesa — Oslo — anunciou que em 2019 proibirá a circulação de automóveis. Para isso, estão investindo pesado na construção de ciclovias e na aplicação do conceito de walkability para a comunidade e visitantes.

2º lugar: Suécia

A Suécia ocupa o vice-campeonato na nossa lista de países com melhor qualidade de vida. As razões para a conquista são muitas, mas destacamos aqui o investimento em sustentabilidade. Quando a capital Estocolmo concorreu para sediar os Jogos Olímpicos de 1994, os suecos planejaram a criação de um bairro — Hammardy Sjüstad — onde a energia consumida é produzida pelo seu próprio lixo ou do sol.

E parece que tomaram gosto pelas tecnologias verdes, já que hoje em dia reaproveitam 99% dos resíduos que produzem, com um sistema de reciclagem invejável.

1º lugar: Austrália

Para provar que não são apenas os países pequenos europeus que têm vez nesse ranking, o sexto maior país em extensão geográfica é primeiro lugar aqui. Os australianos certamente merecem o posto, com um dos melhores índices de expectativa de vida no mundo, resultado do cuidado que tem com a população.

As cidades australianas criaram muitos espaços públicos para promover a convivência e aumentar a integração entre moradores, que passaram a sair de suas casas para buscar opções de lazer e passatempo. Com isso, as comunidades se fortalecem, passando a cuidar e valorizar os ambientes que usam para aproveitar o tempo livre.

Como é feito o ranking?

O mais interessante do ranking dos países com melhor qualidade de vida divulgado pela OCDE é que, diferentemente de outros, o Better Life Index (Índice para uma Vida Melhor) é interativo. Ou seja, são os próprios habitantes que participam da votação.

Os 11 fatores são:

  • comunidade;

  • educação;

  • emprego;

  • engajamento cívico;

  • meio ambiente;

  • moradia;

  • renda;

  • satisfação pessoal;

  • saúde;

  • segurança;

  • vida/trabalho.

O interessante é observar também que, diferentemente de outras pesquisas, que falam de qualidade de vida mencionando apenas a renda e a estrutura, no How’s Life? (Como Está a Vida?) são levados em consideração itens subjetivos (por exemplo: como cada um se sente).

O que podemos aprender com esses países?

Informações valiosas são aquelas que nos ajudam a melhorar. Portanto, que tal aprender com esses países a transformar a maneira como você vive? Uma boa forma é adotar no cotidiano algumas das práticas realizadas pela população local, a fim de garantir uma melhor qualidade de vida.

Com a Dinamarca, a integração da sustentabilidade nas construções, como ter um telhado verde em sua casa. Os suíços nos ensinam a importância da sensação de segurança para o nosso bem-estar. Já a Noruega mostra como pode ser mais interessante deixar o carro na garagem e aproveitar as ciclovias e as calçadas para caminhar e andar de bicicleta. E que tal implantar soluções ecológicas (luz solar, reaproveitamento de água) na sua moradia como fazem na Suécia?  Por fim, não podemos esquecer o importante papel que a vida ao ar livre e o convívio social tem para a nossa felicidade.

Em um bom condomínio horizontal fechado, sua família terá acesso a muitas dessas facilidades, em empreendimentos com ótima infraestrutura, para que as pessoas possam se deslocar com o mínimo de problemas (ciclofaixas, calçadas planas e bem cuidadas, muitas plantas proporcionando sombra e conforto térmico). Filhos e pais podem também investir nas atividades físicas com quadras, parques e piscinas, o que auxilia muito para liberar endorfinas e melhorar a sensação de felicidade.

Ademais, é possível adquirir o seu lote e fazer uma casa do seu jeito, com tudo o que sonha para ser feliz.

O que aprendemos ao conhecer alguns dos países com melhor qualidade de vida? Que é possível observar os seus aspectos positivos e aplicá-los à nossa realidade. Dessa forma, aproveitamos o melhor de cada mundo: a organização e estrutura, sem precisar abrir mão da beleza e do encanto do nosso delicioso clima tropical com praias belíssimas!

Gostou do nosso artigo? Aproveite para compartilhar essas informações nas suas redes sociais e ajudar outras pessoas a perceberem como é possível ter uma vida muito melhor!

Posts relacionados