piscina em casa

Quanto custa uma piscina e como é feita sua construção?

Quando se pensa em construir uma casa, a possibilidade de ter uma piscina no quintal é uma das que mais atiçam a imaginação dos proprietários. Muita gente, porém, acaba recuando e desiste de realizar esse sonho, com medo de gastar demais na concretização do projeto. Mas será que é tão caro assim construir uma piscina em casa?

Quais os tipos de piscina que podem ser construídas no quintal? Como escolher a localização mais adequada e o tamanho ideal? O projeto arquitetônico é tão indispensável assim? Como fazer o planejamento financeiro e não gastar demais? Quais as etapas de construção de uma piscina? Qual a forma correta de fazer a sua manutenção?

Essas são as perguntas mais comuns que surgem antes de encarar o desafio de realizar uma construção desse tipo. Ao longo deste post, vamos tratar destes e outros tópicos importantes. Vamos, porém, começar do princípio e listar alguns pontos indispensáveis a serem levados em consideração quando se trata de ter uma piscina em casa.

Quanto custa construir uma piscina em casa?

Talvez não fosse exatamente isso o que você gostaria de ler aqui, mas é importante destacar que o investimento para ter a sua piscina pode variar bastante em função dos diversos fatores que vamos tratar a seguir.

O valor final da obra vai depender de variáveis como tamanho e o tipo da piscina, a área onde você escolheu construí-la, assim como dos acessórios e equipamentos usados. Isso significa que pode haver piscinas mais baratas e outras muito mais caras devido aos altos níveis de sofisticação, personalização e estruturação adotados durante a obra.

De qualquer forma, vamos tentar estabelecer uma faixa bem realista e que cubra o maior número de variáveis possíveis, o que pode facilitar para que você tenha uma noção bastante clara do custo de uma piscina que se adapte às suas circunstâncias.

O que influencia no preço da piscina?

Feita a definição do local onde será construída, você precisa tomar uma primeira decisão que vai ter impacto no seu custo: escolher que tipo de piscina você deseja ter. A opção pode ser por modelos mais populares, como os de alvenaria ou concreto armado, com revestimento em vinil, azulejo ou pastilhas. Outro muito procurado é o de fibra de vidro.

A escolha de piscinas de alvenaria ou concreto armado representa que você fará um investimento maior. Por outro lado, garante uma durabilidade que pode atingir os 30 anos e mais possibilidades de personalização. Para esse tipo de piscina, somente a mão de obra gira em torno de R$ 500 por metro quadrado.

Quando se leva em consideração o conjunto, isto é, o custo final da piscina, o preço das piscinas de alvenaria pode variar entre R$ 25 e R$ 35 mil para modelos padrão.

Se o proprietário quiser personalizar muito, o valor pode ser ainda maior. Aquecedores, iluminação, deck (ou deque) e dispositivos de hidromassagem são exemplos de acessórios que podem encarecer o custo final. O tempo de construção para esse tipo de piscina é de, aproximadamente, dois meses.

Quais são as opções mais em conta?

Se a intenção for instalar uma piscina de fibra de vidro, sai mais barato. O custo de preparação do terreno, como já vimos, é menor. A piscina propriamente dita, equipada e instalada, custa algo em torno de R$ 20 a 25 mil. A durabilidade desse modelo é de cerca de 10 anos, e o tempo para instalação é consideravelmente menor.

O mesmo acontece com os modelos de vinil. Para esse material, é possível ter preços finais em torno de R$ 15 mil, incluindo a piscina propriamente dita (R$ 5 a R$ 7 mil), equipamentos, instalação e obras de preparação.

Nos dois casos, a instalação também contribui para derrubar o preço, pois ela leva, no máximo, metade do tempo usado para uma piscina de alvenaria.

Quais as outras variáveis a serem consideradas?

Outro fator que vai influenciar o preço final da sua piscina é o tamanho dela, uma vez que isso vai determinar a potência dos equipamentos complementares que serão comprados, pois eles precisam ser compatíveis com o volume de água. Quanto maior a piscina, maior precisará ser a potência da bomba e a capacidade dos filtros.

Uma boa dica, especialmente para piscinas de fibra de vidro e vinil, é verificar se o orçamento cobre alguns (e quais) dos equipamentos. Muitas empresas fazem pacotes completos que acabam resultando em um desconto em relação ao preço final.

Para definir o tamanho e o formato ideal da piscina, você deve levar em conta o espaço disponível no seu terreno. Além disso, o proprietário precisa ser realista e ponderar sobre as expectativas da obra e aquilo que ele consegue executar, dentro do seu orçamento e do espaço disponível.

Quais os custos e etapas da construção de uma piscina?

Agora que você já conhece os principais tipos de piscina e tem uma noção dos custos de cada uma, é importante lembrar a importância de fazer um projeto arquitetônico da obra com a ajuda de uma equipe especializada.

A orientação de um arquiteto ou engenheiro civil é fundamental para a segurança e o sucesso na execução da obra, já que a construção de uma piscina requer planejamento feito por um profissional da área.

Trata-se de uma estrutura complexa, que inclui uma estrutura hidráulica e vários processos de construção nada simples, como veremos a seguir.  

Antes de entrarmos na questão dos custos, é preciso chamar a atenção para três momentos do processo de construção de uma piscina nos quais é necessária uma preocupação especial.

O primeiro deles é a localização da piscina. 

E fazer essa escolha é bem menos óbvio do que pode parecer num primeiro momento. O proprietário precisa levar em conta fatores como a incidência de sol e vento, a presença de árvores, a proximidade de telhados e outras estruturas da casa, assim como a existência de obstáculos no solo (tubulação, pedras, lençol freático etc.).

O próximo passo na construção da piscina é a escavação, que pode ser feita manualmente ou com máquina. Nessa etapa, a terra é retirada para que possam ser realizadas as obras de fundação ou, se for um modelo de alvenaria, de impermeabilização.

Se a piscina for de fibra de vidro, faz-se o contrapiso, seguido por uma estruturação com terra ou com um bloco de concreto mais fino. Depois disso, a peça pode ser assentada.

O terceiro momento é quando se cuida de identificar os locais para a colocação dos dispositivos necessários à piscina — o skimmer (aquela caixinha que fica fixa na parede), o dreno de fundo, as peças de aspiração e de retorno. Se for uma piscina de vinil, ainda tem o ladrão, que é fundamental, uma vez que esse modelo não suporta transbordamentos.

Não se esqueça de impermeabilizar as paredes e o piso quando estes já estiverem prontos. Isso evita possíveis infiltrações na estrutura da piscina. O material a ser utilizado deve ser específico para este fim. Você pode usar ser argamassa impermeabilizante ou massa asfáltica.

Com os equipamentos colocados, é chegado o momento de ligar a tubulação aos equipamentos da piscina para, enfim, se dedicar à instalação dos acabamentos. A piscina está pronta: é só encher e mergulhar!

Como fazer a manutenção da piscina da sua casa?

Ter uma piscina em casa pode trazer muitos benefícios para a família, ampliar a qualidade de vida e ainda valorizar o preço do seu imóvel em até 30%, segundo especialistas do setor.

Porém, conforme vimos acima, esse benefício pode custar caro ao proprietário e exigir bastante planejamento e organização financeira para não estourar a previsão de gastos. Outro ponto importante que merece atenção é a manutenção da piscina.

Para evitar maiores dores de cabeça aos donos do imóvel, é bom lembrar que uma piscina exige gastos regulares com manutenção e limpeza. Ou seja, além de realizar um planejamento para a construção, é fundamental também prever os custos desses cuidados, que deverão ser frequentes.

Para manter sua piscina sempre em ordem, bem higienizada e com boa qualidade da água, é essencial investir em bons produtos de limpeza e equipamentos específicos para este fim.

Sempre que necessário, você terá de fazer testes e também corrigir o PH e a alcalinidade (capacidade da água de neutralizar os ácidos fracos) da sua piscina. Para tanto, você precisará de medidores adequados para verificar os níveis químicos da água.

Outro processo importante é a filtragem, também feita com equipamento específico, que se encarrega de manter a água da piscina livre de impurezas insolúveis e evita que ela fique turva, o que atrapalha a ação de produtos químicos.

A última etapa é a aspiração, um processo que deve ser feito ao menos uma vez por semana e que garante a limpeza e qualidade da água. Ela evita que impurezas se acumulem no fundo da piscina. Nessa etapa, devem ser feitas a limpeza das bordas e a peneiração.

No entanto, antes de realizar a aspiração, você deve fazer uma boa decantação, utilizando um decantador ou clarificante. Esses aparelhos coletam os resíduos espalhados pela piscina e os depositam no fundo.

Para finalizar o tratamento da água, deve ser feita a aplicação de cloro, que elimina os micro-organismos causadores de doenças e evita a proliferação de fungos e bactérias.    

Apesar de tantos fatores que podem fazer o preço final variar, ao colocar essas dicas em prática e seguindo o caminho indicado por essas informações, certamente você conseguirá prever com mais exatidão quanto vai gastar na sua piscina e como pode fazer para manter os custos sob controle.

Agora que você já sabe quanto pode custar construir uma piscina em casa, é importante lembrar que realizar um projeto como esse requer organização, foco, pesquisa e, especialmente, um bom planejamento financeiro. Confira nossas dicas para tirar essa ideia do papel e realizar o sonho de ter um lar mais aconchegante e completo, para você e sua família!

Posts relacionados