Pensando em um segundo imóvel: o que fazer com o primeiro?

Pensando em um segundo imóvel: o que fazer com o primeiro?

A dinâmica da vida exige que as pessoas estejam sempre tomando decisões, muitas delas de grande importância. Afinal, com o passar do tempo e a transformação do próprio perfil, também mudam as necessidades e os níveis de exigências. Com isso, é preciso buscar soluções que sejam condizentes com as realidades que se apresentam.

Para acompanhar essas mudanças, muitas vezes é necessário investir em um segundo imóvel, o que também implica uma decisão sobre o que fazer com o primeiro.

Para lhe ajudar nesse processo, nós preparamos este artigo!

Confira!

 

Oportunidade para valorizar o patrimônio

Antes de tudo, é preciso ter em mente que a necessidade de adquirir um segundo imóvel também deve ser vista como a oportunidade de valorizar o patrimônio da família. Portanto, além da perspectiva da utilidade, é essencial observar com bastante critério o aspecto patrimonial.

Nesse sentido, você pode adotar uma das três estratégias abaixo, que veremos com mais detalhes adiante:

  • trocar o primeiro imóvel pelo segundo de maior valor;
  • vender o primeiro imóvel e utilizar o dinheiro da venda na compra do segundo, ou
  • manter o primeiro imóvel e recorrer às próprias reservas ou ao crédito imobiliário para adquirir o segundo.

Nas três estratégias o objetivo é o mesmo: tornar o seu patrimônio maior após a aquisição. Contudo, independentemente da escolha, é importante ter atenção para as condições de compra do segundo imóvel, que devem ser realmente compatíveis com o seu orçamento. Caso contrário, pode surgir a necessidade de sacrifícios que talvez não sejam tão compensadores.

Sendo assim, prefira dar passos menores, mas consistentes, que permitam aumentar o seu patrimônio com segurança, a exagerar no salto e correr o risco de impor restrições à família.

A opção da troca

Eventualmente, é possível que o vendedor do segundo imóvel tenha interesse em receber o seu como parte de pagamento, o que pode até ser vantajoso. Se essa possibilidade existir, você não precisará se preocupar em vender ou em administrar o primeiro imóvel e terá um desconto muito significativo no preço do segundo.

Porém, é preciso ficar atento para a possibilidade de desvalorização do seu imóvel, o que seria totalmente justificável. A não ser que receba o seu imóvel para uso próprio, o vendedor do segundo imóvel precisará encarar o bem como parte de um negócio que precisa ser lucrativo para ele.

Sendo assim, todas as despesas que você deixará de ter para vender o seu imóvel antigo ou para colocá-lo em condições de ser alugado, precisarão ser descontadas do valor de mercado que ele tem. Se existir a possibilidade de permuta, analise com muito cuidado o eventual desconto. Se for alto demais, ao ponto de comprometer o valor do seu patrimônio, é possível que o negócio não seja compensador.

A opção da venda

A venda é a solução que muitas vezes as pessoas encontram para o primeiro imóvel. De fato, ela pode ser interessante, uma vez que, com o valor da venda, acrescido das economias e de recursos de uma das linhas de crédito imobiliário existentes, será possível fazer o pagamento do novo imóvel à vista, o que é sempre valorizado pelo vendedor.

Nesse caso, será necessário fazer uma pesquisa cuidadosa, a fim de situar o valor do imóvel à venda na faixa de preço que o mercado imobiliário de fato comporta. Afinal, de nada adianta supervalorizar o bem, o que prejudicaria a liquidez e afastaria as oportunidades de negócios. Por outro lado, colocar um valor de venda abaixo do que o mercado comporta aumentaria a liquidez, mas criaria a possibilidade de prejuízo com a venda.

Sendo assim, o ideal é buscar o preço certo, que mantenha a liquidez e que permita a capitalização adequada.

A opção da locação

Outra possibilidade muito interessante é manter o antigo imóvel e destiná-lo à locação. Assim, será possível acrescentar valor ainda maior ao patrimônio da família e, mais do que isso, obter uma renda extra com o aluguel.

É claro que se você optar por manter o antigo imóvel, certamente, terá de obter recursos para a compra do segundo imóvel a partir de outras fontes. Todavia, mais uma vez vale considerar recorrer ao crédito imobiliário.

Nesse ponto, cabe lembrar que existem as possibilidades de parcelamento direto com as incorporadoras ou com as construtoras, como também há a possibilidade do financiamento bancário e do consórcio imobiliário.

Qualquer que seja a sua escolha, com o valor do aluguel recebido você poderá pagar as parcelas do crédito imobiliário com uma grande vantagem: depois que houver a quitação do novo imóvel, você continuará recebendo o recurso extra. 

Ao mesmo tempo, você conservará o valor do bem em seu poder, podendo utilizá-lo no futuro quando surgir uma oportunidade de negócio melhor.

É importante ressaltar que, como ocorre com o valor de venda, também é preciso garantir um valor adequado para o aluguel, a fim de posicioná-lo de maneira apropriada no mercado.

Reforma do imóvel

Para trocar, vender ou alugar o seu imóvel antigo talvez seja interessante fazer uma reforma antes de negociá-lo. Isso porque, além da possibilidade de ele ter sofrido o desgaste natural com o tempo e com o uso, ainda existem os fatores relacionados ao estilo do imóvel e aos materiais utilizados na construção, que podem não ser compatíveis com as exigências atuais.

É preciso ter em mente que o mercado da construção civil está sempre passando por transformações, que são necessárias para acompanhar as exigências do público e também as inovações tecnológicas. Dessa forma, em médio prazo, se não chegam a se tornar antiquados, os imóveis se tornam defasados para os padrões atualizados de exigência dos consumidores.

Para consertar os problemas de desgaste e também para atualizar o seu imóvel, vale a pena pensar em uma reforma. Naturalmente, a obra deve ser compatível com o nicho de mercado apropriado para o seu imóvel. Ao mesmo tempo, ela deve ser feita em um valor limite que, de fato, a torne compensadora diante do negócio que você pretende realizar. Contudo, tenha em mente que com um investimento bem dimensionado você conseguirá melhorar o valor do seu primeiro imóvel e aumentar a liquidez.

Agora que você já sabe o que fazer com o antigo quando investir em um segundo imóvel, compartilhe este artigo com os amigos nas suas redes sociais.

Posts relacionados