Saiba como começar a construção da sua casa mesmo não sabendo nada

Saiba como começar a construção da sua casa mesmo não sabendo nada

Antes de dar início à leitura deste texto, tem algo que você precisa saber: se ao longo do tempo a gente aprende um monte de coisas na marra, por pura obrigação e sem ter a menor vontade, descobrir como erguer seu lar doce lar vai ser uma das jornadas mais prazerosas que a vida adulta já lhe proporcionou. Afinal, trata-se da realização de um sonho ou, melhor dizendo, do primeiro passo rumo à formação do patrimônio da sua família.

Por isso, sem mais delongas, vamos ao que interessa: descobrir como começar a construção da casa!

Como começar a construção da casa?

Se você for começar sua obra do zero, oriente-se pelas 6 etapas abaixo. Assim, quando chegar a hora de iniciar os trabalhos no canteiro de obras, tudo fluirá de maneira mais fácil.

1. Escolha a localização e o terreno

O local eleito tem de ser estratégico — critério um tanto subjetivo. Para algumas famílias, pode ser a proximidade com o centro comercial; para outras, pode ser a tranquilidade e a promessa de valorização futura das áreas de expansão urbana.

Uma vez definida a região, inicia-se a busca pelo terreno. Para não perder tempo com indivíduos mal-intencionados pelo caminho, negocie com incorporadoras idôneas, as quais têm um bom histórico no Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci).

Antes de se decidir por um lote, dirija-se ao Cartório de Registro de Imóveis e peça para ver o registro e as certidões de propriedade e negativa de ônus e alienação.

Também é preciso ir à prefeitura se informar se o loteamento tem as aprovações necessárias e se existem restrições à construção. Isso assegura que o local não faz parte de uma reserva ambiental, não está envolvido em nenhum imbróglio judicial etc.

2. Organize a documentação

Os processos legais para a aquisição de um lote e posterior construção de um imóvel variam de cidade para cidade, por isso, é preciso se informar sobre as exigências específicas. Depois, reúna os documentos e leve-os à prefeitura.

A assessoria do engenheiro responsável pelo projeto ajuda, e muito, a lidar com a burocracia. Caberá a ele matricular a obra, assim que for iniciada, no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), para que os impostos e as contribuições sejam atualizados.

De maneira geral, para regularizar a obra é necessário apresentar o RG e o CPF do proprietário, bem como a documentação do terreno (escritura, formal de partilha ou contrato de compra e venda e carnê do IPTU em dia).

Também é preciso ter a matrícula do imóvel, o alvará de construção, o Habite-se e a averbação da construção. Os gastos com a documentação correspondem a cerca de 5% do valor do imóvel, montante passível de inclusão no financiamento.

Para lidar com as despesas especialmente custosas das etapas iniciais da construção da casa, é preciso fazer um bom planejamento financeiro.

3. Faça um planejamento

O planejamento financeiro permite economizar e, no caso de algum imprevisto, lidar com o ocorrido da melhor maneira possível.

A primeira medida é tratar o orçamento doméstico como se fosse o de uma empresa: levante receitas e despesas e entenda como funciona o seu fluxo de caixa, descobrindo o quanto é possível juntar por mês.

Em seguida, faça uma estimativa do custo da construção, contabilizando a aquisição do lote, o valor do projeto, os gastos com materiais e mão de obra e as despesas com a regularização do imóvel. Considere uma margem de 10%, para mais ou para menos.

Por fim, elabore um cronograma de pagamentos com os desembolsos referentes a cada etapa cumprida na obra, da terraplanagem ao acabamento.

4. Encomende o projeto e as plantas

O engenheiro (ou arquiteto) é o responsável técnico pela obra, a quem cumpre checar as condições do local para verificar quais são as melhores possibilidades e elaborar um projeto que atenda às necessidades da família, sempre respeitando o orçamento.

Por isso, antes de fazer o projeto, ele precisa analisar o posicionamento do terreno, considerando questões que vão muito além da face Norte (a qual tende a ser mais relevante para imóveis na região Sul do país, onde a insolação é menor).

Na maior parte do território, é mais adequado imaginar como os futuros cômodos vão interagir com os pontos cardeais, organizando a planta baixa de acordo com as demandas solares de cada ambiente. As demais plantas (elétrica, hidráulica, entre outras) são feitas em função daquela.

Vale lembrar que, se decidir solicitar financiamento para obtenção de crédito imobiliário, a apresentação do projeto é obrigatória.

5. Contrate a mão de obra

Além de contratar o engenheiro ou o arquiteto, devidamente registrado no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) ou no Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU), é preciso encontrar bons empreiteiros (pedreiros, carpinteiros, eletricistas, encanadores etc.).

Conte com a construtora responsável pelo projeto para auxiliá-lo na contratação e gerenciamento da mão de obra especializada, a qual entregue o que promete, no prazo estipulado e com honorários justos.

Para isso, é importante descrever todos os serviços, prazos e valores combinados em um contrato por escrito. Em relação aos pagamentos, pode-se realizá-los de acordo com o cumprimento de cada etapa ou após a obra ter sido toda concluída.

6. Cote os materiais de construção

A lista de materiais é pedida por etapas. Porém, se encontrar oportunidades que valham a pena, considere comprar antecipadamente e estocá-las (desde que o prazo de validade permita e que haja um local adequado para o respectivo armazenamento).

É muito importante comparar os preços entre diferentes home centers. Porém, deve-se manter um critério de qualidade que vise o melhor custo-benefício para sua obra.

Devido ao relacionamento de longa data, os empreiteiros tendem a conseguir bons descontos nos fornecedores. Vale a pena consultá-los e calcular qual seria a economia. Compare todos os orçamentos e decida qual compensa mais.

 

Como avançar para as próximas etapas?

Há quem curta cada etapa da fase inicial, mas também existe quem não veja a hora de chegar à fase de deixar a casa com cara de casa!

A escolha dos acabamentos também exige planejamento, mão de obra especializada, matérias-primas de qualidade e controle atento do orçamento. Somados, esses cuidados adiam reparos e ajudam a valorizar o imóvel no mercado imobiliário.

Quanto mais você se informar sobre o assunto, mais fácil será a execução de cada etapa rumo à conclusão do projeto. Se você deseja contar com uma equipe especializada para orientá-lo sobre a melhor maneira de escolher seu terreno, auxiliá-lo como contratar bons profissionais e assessorá-lo a começar a construção da casa, entre em contato conosco. Teremos prazer em ajudar!

Posts relacionados