15 passos para criar um lounge em casa

15 passos para criar um lounge em casa

Ter um lounge em casa é como ter uma peça coringa no guarda-roupa. O ambiente alia charme, conforto e elegância e serve para diversas ocasiões: dá para fazer festas ou simplesmente relaxar em família. Democrático, pode tanto ser interno como ficar no terraço ou no jardim, adaptando-se a diferentes residências. Mas, para corresponder aos seus desejos e necessidades, é importante planejá-lo muito bem.

Confira 15 ideias para montar seu futuro espaço favorito com muita funcionalidade!

1. Defina o orçamento previamente

Para estipular a verba destinada ao projeto dos sonhos, reserve uma porcentagem maior para o mobiliário, pensando no conforto e na durabilidade das peças.

Por outro lado, economize nos itens decorativos, que podem ser trocados de tempos em tempos para renovar o espaço.

Se ainda estiver na fase de obra, reserve um valor para investir no tratamento termoacústico do espaço, com a colocação de janelas e esquadrias à prova de ruídos, e na instalação do ar-condicionado.

2. Crie seu conceito de lounge em casa

O espaço deve traduzir sua personalidade, revelando seu estilo por meio de objetos decorativos e efeitos cênicos cuidadosamente empregados.

Entre os itens que não podem faltar, destacam-se uma boa tapeçaria, móveis multifuncionais, diversos tipos de luminárias e um moderno sistema de som.

Além de pesquisar referências em revistas, blogs e redes sociais, nessa etapa é interessante contar com a orientação de um profissional.

3. Consulte um arquiteto

A escolha do local de implantação do lounge deve levar em conta uma série de fatores e pode implicar adaptações que, em um primeiro momento, passam despercebidas aos olhos leigos.

Para evitar o aborrecimento, um arquiteto ou designer de interiores pode orientá-lo e, ao mesmo tempo, providenciar os materiais necessários de maneira adequada.

Ele também auxilia na indicação de prestadores de serviços capacitados, prevenindo atrasos e evitando prejuízos.

4. Aproveite a integração dos ambientes

Geralmente, o lounge fica em uma das laterais da sala de estar. Com algumas soluções de design é possível montá-lo, até mesmo, em pequenas áreas.

Outra ideia prática é integrá-lo à cozinha gourmet, permitindo o fácil acesso aos comes e bebes.

5. Repense os pontos de elétrica

Considere a marcenaria, as luzes e os eletrodomésticos que serão utilizados e defina onde será preciso ter tomadas e interruptores extras. Para não ter que rasgar as paredes, é possível camuflá-los sob shafts de drywall.

Outra solução são os conduítes aparentes. Para quem gosta de um estilo industrial, eles compõem a decoração e, quanto mais aparecem, melhor.

Já as fitas eletrificadas são ideais para quem quer que os fios desapareçam. Com interruptor de sobrepor, basta fazer o acabamento com massa corrida e pintar por cima da instalação, sem quebra-quebra.

6. Prefira a iluminação indireta

Caracterizada pela luz projetada na parede ou no teto, a iluminação indireta reflete na superfície, valorizando a atmosfera intimista que o setor pede.

Para complementá-la, aposte na luz direcionada de arandelas, spots e abajures. Use balizadores para guiar os passos em escadas ao anoitecer.

Já fitas de LED instaladas sob sancas, nichos e prateleiras destacam objetos decorativos sem esquentar.

7. Acerte na temperatura da luz

As luzes interferem diretamente nas emoções e sensações. Na hora de escolher as lâmpadas, prefira as de tons quentes, mais amarelados.

Também é possível controlar a iluminação por meio do dimmer, regulando a intensidade e criando cenários diferentes.

8. Priorize o isolamento acústico

Para não incomodar os vizinhos ou quem estiver trabalhando no home office, estudando, dormindo, entre outras atividades, invista no isolamento acústico.

Sempre que possível, o sistema deve ser elaborado na fase de planejamento da obra. A qualidade do bloqueio sonoro varia em função das especificações dos materiais.

Os perfis de drywall são os mais comuns e podem ser usados como paredes divisórias, instalados sobre a alvenaria ou como forro, rebaixando tetos.

9. Não esqueça o conforto térmico

Quase toda solução que promove o conforto acústico também promove o térmico, eliminando frestas e mantendo a temperatura agradável no frio.

Já no calor, se a ideia for deixar o espaço fechado por conta do barulho, um bom ar-condicionado é indispensável.

Vale ressaltar que a atualização do imóvel em relação às novidades tecnológicas promove sua valorização no mercado.

10. Invista na automação residencial

A automação vem se popularizando e ficando mais acessível. Ela permite adequar a iluminação a cada momento, bem como controlar a abertura das cortinas, o som ambiente, a temperatura do espaço e muito mais.

Na prática, é como se todos os controles remotos fossem integrados e conectados ao seu smartphone. Já imaginou chegar e encontrar o lar na temperatura ideal, pronto para o seu relaxamento?

11. Defina qual é o melhor estilo

Quanto maior a área disponível, maiores as possibilidades de ousar com itens grandes no mobiliário.

Para quem aprecia a classe do design escandinavo, vale abusar de couro e materiais naturais. Já em espaços pequenos, o estilo minimalista é uma ótima saída.

Se optar por um lounge externo, os tecidos e revestimentos devem ser resistentes às intempéries. Pode-se montá-lo em um gazebo, estrutura com as laterais abertas e cobertura leve, geralmente sobre um deque de madeira.

12. Setorize sem perder espaço

Na hora de montar o lounge, experimente usar um papel de parede ou uma cor diferente na área reservada ao espaço.

A disposição dos móveis também ajuda a delimitá-lo. Se posicionado verticalmente à parede, o sofá pode receber um aparador encostado na parte traseira, garantindo a harmonia visual de quem olha da extremidade oposta.

Já se o sofá ficar encostado na parede e você sentir falta de uma barreira física, experimente criar uma divisória com uma estante vazada ou um biombo.

13. Compre móveis confortáveis e versáteis

Chaises e sofás com boa profundidade são os mais confortáveis. O mais importante é que o lounge tenha assentos suficientes para acomodar a todos.

Prefira peças versáteis, como banquetas e pufes estruturados. Dependendo da ocasião, eles fazem a vez de mesinhas de apoio.

Complementos, como futons, permitem aumentar a quantidade de lugares sem deixar o local lotado no dia a dia. Para ocupar menos espaço, basta empilhá-los.

A escolha dos tecidos deve priorizar o conforto. Prefira os macios, mas que possam ser lavados.

14. Adquira os objetos decorativos

Via de regra, almofadas e mantas podem ter cores e estampas vivas, caso os móveis sejam básicos, ou neutras, se for rico em detalhes.

Para completar o clima de descontração, invista em quadros, espelhos e castiçais.

15. Providencie o entretenimento

A escolha varia em função do espaço disponível e do que mais agrada aos donos do imóvel.

O home theater é uma opção quase unânime. Também pode ser instalado um bar, com direito à chopeira ou adega.

Mesas de sinuca, pebolim ou carteado dão um charme a mais à decoração. Se preferir algo menos volumoso, basta uma prateleira com jogos de tabuleiro clássicos.


Vantagens de ter um lounge em casa

Além de estimular os encontros presenciais, cada vez mais raros, um lounge em casa confere liberdade ao morador. Encerra-se a preocupação de ter que reservar o salão do condomínio com antecedência, por exemplo.

Já no dia a dia, o lounge colabora para a qualidade de vida da família, proporcionando um ambiente multiúso para curtirem juntos. Pode ser usado para ler, meditar, tirar um cochilo, entre outros fins.

Por tudo isso, vale a pena considerá-lo no projeto arquitetônico.

Pronto para ganhar fama entre seus amigos como bon vivant? Se você aprecia a arte de bem receber e faz parte do grupo de pessoas que deseja ter um lounge em casa, conte para a gente como pretende dar vida ao seu projeto, o que acha importante priorizar, entre outras questões. Sinta-se à vontade e deixe seu comentário no post!

Posts relacionados