6 dicas para construir uma área gourmet em sua casa

6 dicas para construir uma área gourmet em sua casa

Seja por conta da insegurança nas ruas, por contenção de gastos ou, ainda, pela preocupação com a qualidade da alimentação, cada vez mais pessoas estão preferindo cozinhar a comer fora. Na hora de encontrar os amigos, vale o mesmo. Para recebê-los em casa, nada melhor do que contar com uma área gourmet aconchegante e bem equipada!

Por meio de soluções arquitetônicas que valorizam um design funcional, o espaço gourmet pode ser construído tanto em residências amplas quanto em apartamentos pequenos, com ou sem varanda.

Veja seis dicas para compor uma área gourmet perfeita para o seu lar!

1. O que considerar antes de construir a área gourmet?

Para começar, vale a pena contar com o auxílio de um profissional. Um designer de interiores é capaz de valorizar espaços que passavam despercebidos e criar uma verdadeira casa dos sonhos.

Primeiramente, veja se a área escolhida servirá de cozinha também no dia a dia. Nesse caso, é importante que atenda às necessidades diárias da família.

Instale os pontos de hidráulica e elétrica, para evitar quebra-quebras posteriores ou emaranhados de fios pelos rodapés.

Já o projeto de iluminação artificial deve ser elaborado visando estender as atividades até a noite. O uso de lâmpadas em tons quentes deixa a atmosfera mais gostosa.

2. Como escolher os pisos e revestimentos?

Cerâmicas coloridas, como ladrilhos hidráulicos, são resistentes e combinam com a área gourmet. Porcelanatos que imitam madeiras e pedras também têm fácil manutenção e fazem bonito no setor.

Por outro lado, evite colocar deques de madeira perto de churrasqueiras, pois os respingos de gordura podem manchá-los.

Outro material que vem sendo procurado é o Dekton, que cria superfícies lisas e fáceis de limpar. Resistente a riscos e abrasões, deixa a estrutura com ar de nova por muito mais tempo.

Para criar diferentes setores na mesma parede sem comprometer o espaço disponível, use e abuse das cores na pintura.

3. Como fazer uma churrasqueira ideal?

Se houver espaço, opte pelos modelos com fogão a lenha e/ou forno integrados. Apesar dos tijolinhos serem tradicionais, o uso de aço inox, corten ou carbono com pintura especial é cada vez maior.

Se você não abre mão dos tijolos à vista, atualize o visual com modelos tipo inglês, rockface ou sicília.

Para não correr o risco de ter algum dano no acabamento, por conta de dilatações que levam ao aparecimento de trincas, use argamassas, impermeabilizantes e outros produtos resistentes ao calor.

Já os revestimentos que ficam no interior, na área em contato com o fogo, têm de ser refratários, como cimentos, lajotas e pedras vulcânicas.

Fora da zona do braseiro, pode-se usar madeiras impermeabilizadas com produtos impregnantes.

Quando a opção for pelo uso do mesmo material da bancada ao interior da churrasqueira, o granito preto é um curinga por não sofrer com as marcas escurecidas de fumaça.

Para os mais distraídos, modelos pré-moldados com kits rotativos assam as peças de carne de maneira uniforme e dispensam que alguém fique de olho nos preparos o tempo todo.

Churrasqueiras portáteis, por sua vez, facilitam os preparos ao ar livre em dias de tempo firme. Existem modelos a carvão, a gás ou a bafo, que aliam praticidade, recursos avançados e sofisticação com design típico de barbecues.

4. Quais são os tipos de móveis mais indicados?

Para acertar, defina a metragem disponível e, na hora da compra, tente imaginar como será a circulação das pessoas. Para não exagerar nas dimensões e prejudicar a mobilidade, faça um rascunho com a disposição pretendida. Reproduza o tamanho dos móveis em medidas reais, marcando-os no chão com fita crepe.

Para completar, prefira peças resistentes, confortáveis e fáceis de limpar. Itens em fibra sintética são indicados. Em áreas abertas, devem ter proteção solar e resistir à ação das intempéries.

Invista em uma boa bancada de apoio, que pode ser móvel (com rodízios) ou fixa. Além disso, bancos e banquetas são muito versáteis e servem como mesinhas de apoio durante as refeições com mais convidados.

Para guardar louças e utensílios, aproveite o espaço com gabinetes e armários suspensos, feitos em marcenaria sob medida.

Para evitar que os cheiros se espalhem, instale uma coifa ou um depurador sobre o fogão. Aliás, para quem tem pouco espaço, o cooktop pode substitui-lo.

5. Como fazer uma horta e até um jardim?

Há quem use o cultivo como terapia, quem o faça pelas possibilidades gastronômicas ou, ainda, por puro apreço visual. De fato, ter uma pequena horta é um jeito econômico de decorar a área gourmet e tornar o imóvel mais atraente.

Meça e verifique qual tipo de recipiente o espaço comporta. No distribuidor, pergunte quais são os vegetais indicados para o seu cantinho verde. Verifique se os escolhidos exigem algum cuidado especial quanto à iluminação, rega, adubação e poda.

O espaço também pode ter um jardim com paredes verdes, vasos suspensos e outros recursos paisagísticos. A escolha das espécies deve respeitar as condições de ventilação e insolação.

Quando a área gourmet fica na varanda, ela pode fazer a vez de quintal e receber grama sintética e até uma pequena piscina. Para aumentar a integração com o ambiente, as portas internas podem ser suprimidas.

6. Como usar a área gourmet em todas as estações?

Se o espaço tiver sacada, opte pelo fechamento com vidro. Isso garante seu uso em dias de chuva. Já a colocação de persianas gera privacidade à família e aos convidados.

Cuidar do conforto térmico é muito importante. Instale um ar-condicionado ou um ventilador para temporadas mais quentes. Para quem vive em regiões frias, vale a pena investir em uma bela lareira.

Em dias preguiçosos, especialmente no meio da semana, a existência de um home theater garante a frequência dos moradores no ambiente. Por isso, reserve uma verba para a implantação de recursos multimídia.

 

Por que não bastam áreas comuns de convívio social?

Independentemente de morar em um condomínio que ofereça piscina, quadra, espaço gourmet e outras opções de lazer, o convívio privado é muito mais confortável.

Já quem tem filhos adolescentes e não quer bagunça da porta para dentro, vale a pena optar por um condomínio que ofereça esses recursos nas áreas comuns.

Ideais para o convívio, essas áreas permitem o desenvolvimento das relações sociais e estimulam a vivência comunitária entre os mais jovens.

Antes de começar seu projeto de área gourmet privativa, lembre-se de que as escolhas devem ter sempre o melhor custo-benefício. Assim, o “risco” de torná-la o melhor lugar da casa é elevado.

Para ter mais discas como essas, curta a nossa página no Facebook!

Posts relacionados