Vista do Canindé de São Francisco

Descubra agora todos os encantos de Canindé de São Francisco

Escolhida como cenário-base de novelas globais como Velho Chico (2016) e Cordel Encantado (2011), a belíssima Canindé de São Francisco se tornou a mais famosa porta de acesso para quem deseja renovar suas forças no Complexo Turístico de Xingó, uma grata generosidade da Mãe Natureza (e também da mão do homem!) que atrai turistas do mundo todo com a exuberância de sua geologia, fauna e flora.

Não sem razão a região assiste a uma crescente romaria de visitantes (atualmente, cerca de 150 mil por ano), os quais semanalmente se despedem da cidade boquiabertos com as formações rochosas de granito avermelhado (que parecem ter sido desenhadas à mão), bem como com a imensidão de águas esverdeadas que contrastam com as plantas rústicas da caatinga.

A região que um dia testemunhou o romance e a bravura de Lampião e Maria Bonita, hoje hipnotiza uma multidão de turistas que rumam a essa área em busca de equilíbrio espiritual, da alta adrenalina do ecoturismo de aventura ou simplesmente de um bom descanso após uma semana de trabalho.

Quer saber por que Canindé de São Francisco, em Sergipe, entrou definitivamente no topo do mapa turístico nacional? Então fique conosco nas próximas linhas!

Thai Residence

Uma tarde no céu

Que tal fazer um passeio de catamarã pelos vales do Cânion de Xingó, contemplando lá de baixo, da linha da água, a imponência assustadora dos “paredões” de rochas gigantes que cercam o Velho Chico?

Que tal relaxar seu corpo e alma nas águas mornas do rio São Francisco, com direito a mergulho para descobrir segredos da misteriosa vida marinha local?

Ou ainda, o que acha de retornar mais tarde para um delicioso almoço típico sergipano, com direito à tilápia produzida na região, moqueca de surubim e, é claro, aquela água de coco gelada para recompor a energia?

É por toda essa experiência transcendental que a cidade situada a cerca de 200 km de Aracaju se tornou sinônimo de vida e contato com a natureza. Mas vamos explicar isso com mais detalhes.

A história do Cânion do Xingó

O exotismo das belíssimas paisagens dessa região fez desse ponto do sertão nordestino um dos mais visitados do país. Com alto apelo para o ecoturismo, Canindé de São Francisco é transbordante de opções de passeios de lancha, escuna, catamarã e até trekking/corrida por entre as rotas desenhadas nas montanhas.

Mas o que poucos sabem é que o local, que já se chamou Canindé e Curituba (que hoje é o nome de um povoado da região), teve seu fluxo turístico ampliado exponencialmente depois da construção da Usina Hidroelétrica de Xingó.

Sim, o que hoje é um dos maiores cânions navegáveis do planeta nasceu como uma consequência do represamento das águas do São Francisco para a construção da Hidroelétrica do Xingó.

Antes dessa obra, esse cânion era apenas o rio Canindé, um rio raso, com vegetação escassa e coberta pela caatinga. No final dos anos 80, toda essa área foi inundada, formando um lago que servia de reservatório para a usina.

Com o desenvolvimento da infraestrutura urbana, chegada da rede hoteleira/restaurantes e a construção de condomínios residenciais de veraneio em alto padrão, os passeios pelos cânions do Vale dos Mestres se tornaram viáveis (e disputados).

Os atrativos desse santuário são diversos: sinergia com um corredor de águas esverdeadas em pleno sertão, passeios por cavernas com pinturas rupestres e fragmentos de cerâmicas datados de 8 mil anos, além de visualização de rochas em formatos que lembram figuras humanas…esse oásis de paz o espera para um mergulho.

O que fazer em Canindé de São Francisco

Com acesso pelas rodovias BR-101 e pela SE-230, não lhe faltarão atividades na região:

Trilha pelo Vale dos Mestres

Que tal unir trekking, ecoturismo, botânica e arqueologia? Uma caminhada pelo Vale dos Mestres proporcionará a você tudo isso. Por entre os caminhos abertos ao longo dos mais de 2.000 metros de extensão, você terá contato com a vegetação e fauna típicas da caatinga, como mandacarus, pássaros silvestres, calangos e saguis.

A trilha passa por 3 sítios arqueológicos, com gravuras rupestres milenares, que dão ideia do homem primitivo que habitou no país. No final da caminhada, você ainda será brindado pelo luminoso Lago Xingó, que foi cenário para mais uma produção global, a minissérie “Amores Roubados!”.

Passeio de barco pelo cânion do Xingó

Você pode fazer esse passeio fascinante a partir de Canindé de São Francisco. As saídas dos catamarãs ocorrem pela manhã no Restaurante Karrancas, localizado estrategicamente às margens do rio, sendo que o roteiro dura, em média, 3 horas (2 horas de ida-volta e 1 hora para um delicioso banho na Gruta do Talhado). A embarcação é segura e bem equipada, contando com sanitários, duchas e lanchonete.

Ao longo do trajeto de 18 km rio adentro, clássicos nordestinos fazem a trilha sonora diante do frescor das águas cristalinas, da contemplação de formações rochosas como a “Pedra do Gavião” e de um saboroso almoço com especialidades locais, como bobó de camarão, pirão e moqueca de peixe.

O custo total dessa aventura inesquecível sai entre R$ 100,00 e R$ 150,00 e você ainda tem a opção de fazer um passeio de canoa pela gruta (valor à parte, cerca de R$ 70,00).

Almoço à beira do São Francisco

E por falar em delícias gastronômicas, não deixe de experimentar a sensação indescritível de saborear um peixe grelhado ou um espetinho de camarão em um dos restaurantes às margens do Velho Chico, ao som dos pássaros, do movimento das águas ou, melhor ainda, de clássicos de Luiz Gonzaga, Alceu Valença e Fagner. Vale a viagem!

Dica: se você é apaixonado(a) por fotografia, aproveite até o meio-dia para fazer suas fotos, devido à melhor posição do sol.

Museu Arqueológico de Xingó

As escavações ocorridas durante a construção da hidroelétrica permitiram identificar a existência de uma civilização xingoana que data de pelo menos 8 mil anos, o que faz do acervo deste museu um dos mais impressionantes do país.

São mais de 5 mil peças e vestígios arqueológicos presentes no Museu de Xingó (entre pinturas rupestres, cerâmicas, ferramentas, armas e esqueletos), que indicam o modo de viver, as práticas humanas e a organização social dos habitantes da pré-história.

O museu abre de terça a sábado, das 8h às 17h, e aos domingos, das 8h às 16h. A entrada custa R$ 5,00 e o tempo de visitação é de 2 horas. E-mail: max@ufs.br, telefone: +55 (79) 3194-6453. É mais um item indispensável em seu roteiro por esse pedaço de paraíso do sertão nordestino!

E você, já esteve em uma reserva natural/arqueológica dessa magnitude? Já visitou Canindé de São Francisco? Conte-nos abaixo sobre sua experiência!

Posts relacionados