Manutenção: o que considerar ao construir uma casa?

Manutenção: o que considerar ao construir uma casa?

Construir uma casa perfeita é um sonho que, se não for bem estudado e planejado, pode virar um pesadelo.

Orçamento e projeto arquitetônico são apenas alguns dos diversos fatores a serem considerados para a construção de um imóvel. Para quem é marinheiro de primeira viagem, pode ser complicado saber tudo o que é necessário ao se construir um novo espaço.

Além disso tudo, é preciso pensar na manutenção do imóvel e todas as questões que podem surgir após a casa estar pronta e em uso.

Para que você possa se informar melhor sobre essa questão, continue lendo o nosso post especial sobre o que considerar ao construir uma casa.

As primeiras coisas primeiro: o projeto arquitetônico deve ser bem elaborado

Um planejamento é a base para um projeto ter sucesso. Mas esse planejamento não deve se deter apenas ao desenho das plantas do local.  

O projeto arquitetônico é a fase de pontapé inicial para realizar o sonho da casa perfeita. É por meio dele que será feito o levantamento das condições do terreno, o estudo preliminar com esboços das ideias, até o detalhamento de materiais e orçamento.

Mas algo que muitas pessoas não levam em consideração na hora do projeto arquitetônico é a parte da manutenção.

Tim-tim por tim-tim: tenha tudo detalhado de antemão

Dependendo do perfil do imóvel, se ele for construído na praia, por exemplo, é preciso que haja um planejamento prévio sobre como será mantido esse espaço. E isso é feito no projeto arquitetônico.

Avalie o tipo de moradia que você está querendo construir e pesquise sobre as peculiaridades que ela possa ter quando o assunto é manter a casa em boas condições.

Durante a elaboração do projeto, converse com o arquiteto para entender como ele está prevendo essas questões.

Por exemplo, se você pretende ter uma área na parte de fora da casa, com churrasqueira e até mesmo uma piscina, o arquiteto precisa minimizar os danos externos nesse espaço. Como ele fará isso?

Eis aí algo para você ficar atento e esclarecido antes de construir a sua casa.

Do arquiteto ao pedreiro: busque bons profissionais

A matemática é simples, um bom projeto, executado de forma eficiente, reduz as possibilidades de reformas estruturais.

Para isso, é preciso buscar profissionais competentes no mercado. Não só o arquiteto que fará o projeto arquitetônico, mas também o mestre de obras que vai levantar a fundação e montar a estrutura de forma certa.  

É muito comum pessoas que contratam profissionais pouco confiáveis, mas que cobram mais barato, e depois descobrem que a parte hidráulica do imóvel foi feita de forma completamente errada.

Evite dores de cabeça. Procure no mercado por profissionais competentes e com boas referências.

Além disso, são esses profissionais que vão ajudar você na hora de escolher revestimentos e materiais estruturais para o imóvel. E por que isso é importante? Entenda mais no tópico abaixo.

O barato que sai caro: a escolha do material

Todos já ouvimos essa frase alguma vez na vida, certo? Por vezes nos empolgamos com alguma promoção ou por um item que é similar ao que queremos, porém mais barato.

Seguir esse impulso na escolha dos materiais a serem usados ao construir uma casa pode ser fatal para o seu bolso.

A compra inicial poderá ser mais barata, mas se o material for inferior, você precisará trocar pisos, forros de teto, encanamento ou até mesmo refazer a pintura em um espaço curto de tempo.

Resultado? Acabará gastando mais do que se investisse em um material de boa qualidade, mesmo que mais caro, logo no início do projeto.

Escolha com sabedoria cada material que será usado no imóvel. Se você pretende um dia sublocar o seu espaço, ou até mesmo vender, os imóveis com bom acabamento tem mais valor no mercado.

 

Foco na estrutura: fique atento aos prazos

A parte estrutural de uma casa não é vitalícia, ou seja, a parte elétrica e hidráulica precisa receber manutenção de tempos em tempos para que o imóvel tenha uma vida útil longa e saudável.

Você deve se preocupar em fazer manutenções preventivas para evitar dores de cabeça futuramente.

A pintura externa de uma casa dura em média de 5 a 6 anos. Claro, esse tempo diminui se a tinta escolhida não for de boa qualidade. Lembra do tópico sobre a importância da escolha dos materiais?

Já a parte hidráulica precisa de manutenção entre 10 e 15 anos. Isso não quer dizer que imprevistos não possam surgir. Por isso, é muito importante não negligenciar problemas desse tipo de estrutura.

Para garantir mais tranquilidade, manutenções preventivas anuais são indicadas.

A parte elétrica pode durar até 20 anos sem precisar de grandes reformas, para isso também é adequado fazer manutenções preventivas todo ano.

Ao construir uma casa, tenha em mente a necessidade desses gastos anuais para manter o local seguro e bem conservado.

Prevendo o futuro: faça as contas

Ter a casa própria é de fato uma das melhores coisas da vida. Ainda mais quando você a constrói do zero, exatamente como você sempre quis.

Então, você não quer que, depois de um ano morando na sua nova casa, se veja apertado para pagar os gastos da manutenção.

Faça as contas e preveja as despesas futuras que você possa vir a ter com manutenção. Alguns escritórios de arquitetura e construtoras já oferecem planos de manutenção no projeto, com descontos progressivos.

Tente se organizar e fazer uma previsão, mesmo que aproximada, desses gastos com manutenções. Existem empresas qualificadas e especializadas em manutenção que podem ajudar você nessa parte do processo.

Depois de avaliar tudo, veja o que é melhor para o seu bolso para conseguir viver tranquilamente na casa que você tanto sonhou.

Não negligencie a parte financeira do projeto, se algo estiver muito acima do que você estava prevendo, reveja desde o início o que pode ser alterado para caber no seu orçamento.

Ficou com alguma dúvida sobre os cuidados e preparos na hora de construir uma casa? Deixe um comentário! Teremos o maior prazer em ajudar a esclarecer as suas questões.

Posts relacionados