Móveis para áreas externas

Como escolher móveis para áreas externas? Descubra aqui!

Sabe aquela rotina chata de montar e recolher, diariamente, o mobiliário usado nos espaços de lazer da residência? Trata-se de algo que pode ser eliminado com facilidade da lista de afazeres domésticos! Basta escolher peças resistentes à exposição ao sol, à chuva e até ao sereno que cai durante as madrugadas.

Para acabar com o põe e tira de cadeiras, mesas e companhia, conheça os melhores móveis para áreas externas. Depois é só aproveitar as atividades ao ar livre ao lado da família e amigos!

Maui Residence

Por que é importante ter um mobiliário próprio para a exposição ao tempo?

Além do papel decorativo, os móveis devem ser ergonômicos e funcionais, ou seja, o mais confortáveis e resistentes possível.

Caso opte por uma peça imprópria para o uso em áreas descobertas, ainda que de forma esporádica, a ação das intempéries é implacável.

Rapidamente, o móvel desbota e fica com a funcionalidade comprometida — com risco, inclusive, de se quebrar.

Isso porque o emprego inapropriado faz com que itens de plástico se partam; de madeira soltem farpas e lascas; de ferro se corroam; e os estofados acabem, invariavelmente, mofados.

Para piorar, além de poder provocar acidentes, o processo de degradação é rápido e quase nunca tem reparo. Por isso é tão importante usar móveis para áreas externas feitos com materiais preparados para aguentar mudanças climáticas.

 

Quais são os principais diferenciais dos móveis para áreas externas?

Se preparados adequadamente, diversos materiais podem ser adaptados ao uso em espaços abertos. Confira alguns aspectos que devem ser levados em consideração para escolhas de bom custo/benefício:

1. Estruturas

Os materiais mais utilizados em móveis para áreas externas são a madeira (cumaru, ipê, jatobá, entre outras espécies), a fibra sintética, o prolipropileno, o alumínio e o aço inoxidável. Veja as especificidades de cada um:

  • a madeira deve ser impermeabilizada e, de tempos em tempos, receber novas camadas de verniz ou stain. A manutenção periódica é essencial para garantir sua beleza e durabilidade;
  • a fibra sintética pode reproduzir a aparência trançada (rattan) das fibras naturais, conferindo um aspecto artesanal ao mobiliário, ou ser colorida com tons intensos, mas sem o risco de desbotar;
  • o prolipropileno (tipo de plástico melhorado) não esquenta e resiste por muito tempo ao sol e à água, mas não suporta grandes cargas e pode sofrer com a ação de produtos de limpeza fortes. Por isso, siga as orientações do fabricante;
  • o alumínio (sem pintura) não enferruja e nem descasca, sendo ideal para casas próximas à praia (onde há maresia), mas não deve ser deixado em contato com o cloro por muito tempo. Neste caso, deve-se lavar as peças com água corrente após o uso pelos banhistas;
  • o aço inoxidável também não enferruja, sendo encontrado em versões coloridas com pintura epóxi (não descasca).

2. Estofados

Os tecidos de almofadas, futons e colchonetes usados em cadeiras, poltronas, sofás, espreguiçadeiras e chaises, entre outras peças, precisam ser à prova de raios UV e impermeáveis.

Isso garante que não desbotem ou fiquem mofados, além de deixar a limpeza (feita apenas com água e sabão neutro) bem mais prática. Entre as opções, o poliéster e o couro náutico estão entre as mais comuns.

3. Design

Quando o ambiente de lazer é conectado ao interior do imóvel, como no caso de uma varanda gourmet integrada à sala de estar, por exemplo, os móveis para áreas externas precisam ter um estilo em harmonia com o décor utilizado na casa.

Isso facilita na hora de decoração, pois permite manter a mesma linguagem estética tanto nas áreas internas quanto externas.

4. Funcionalidade

A fim de curtir bons momentos em família ou receber os amigos em ocasiões especiais, os móveis para áreas externas devem ser ergonômicos e úteis, colaborando para o relaxamento sem abrir mão da funcionalidade e nem atravancar as passagens.

Assim, é importante que as cadeiras sejam atérmicas; as espreguiçadeiras tenham rodízios para facilitar os deslocamentos; os sombreiros possuam bases firmes para não serem arrancados pelo vento; as mesas possam ser expandidas etc.

Que tipos de peças podem ser usados nos espaços de lazer a céu aberto?

Existem móveis para relaxar, para otimizar o espaço, além daqueles feitos para dar suporte a alimentos e bebidas. Conheça sete opções de peças que valem a pena ter nas áreas externas:

1. Ombrelones

Oferecem um sombreamento amplo, com opção de haste lateral ou central, e mecanismos que facilitam a abertura e o posicionamento da sombra, além de serem resistentes aos ventos mais fortes, graças à base de concreto.

2. Espreguiçadeiras

Indispensáveis para quem deseja tomar sol no gramado ou no deck da piscina — o qual deve ser revestido com pisos atérmicos e antiderrapantes, para evitar escorregões.

3. Bancos e cadeiras

Em áreas pequenas, banquetas dobráveis são ideias, pois permitem acomodar um número maior de pessoas e, ao término dos eventos, podem ser penduradas nas paredes; já as cadeiras proporcionam mais conforto às visitas.

4. Mesas com guarda-sóis

Em espaços menores, opte por mesas estreitas (embutidas na parede) ou redondas (nas quais sempre cabe mais um banco); já nos maiores, prefira mesas retangulares amplas (se possível, extensíveis).

5. Chaises, poltronas e sofás

Para uso individual ou para dividir com outras pessoas, esses tipos de móveis proporcionam conforto e trazem sofisticação aos setores de lazer, sendo que alguns modelos contam com uma prática cobertura retrátil.

6. Carrinhos com rodízios

Elementos multiuso, são bons para transportar petiscos de um lado para o outro, mas também podem ficar estacionados e servir de suporte para louças, talheres e outros acessórios.

7. Garden seats

Tendência em projetos de paisagismo contemporâneos, esses bancos (estilo tamborete) são colocados em jardins, em espaços de meditação internos ou externos, entre outros espaços, onde servem como assentos extras ou mesinhas de apoio.

Como é possível ver, para deixar os espaços de lazer da sua residência mais convidativos, há opções de mobiliário para todos os gostos — dos mais discretos, com peças em tons naturais, aos mais ousados, com itens coloridos e designs arrojados. O importante é escolher móveis para áreas externas feitos com materiais adequados e seguir a manutenção indicada pelo fabricante.

Se você gostou dessas dicas, aproveite para descobrir muito mais! Assine a nossa newsletter e receba, gratuitamente, conteúdos exclusivos por e-mail!

Posts relacionados