Descubra como escolher a iluminação para a casa

Descubra como escolher a iluminação certa para a sua casa

Investir em uma boa iluminação para a casa é fundamental. Além de funcionais, as lâmpadas e luminárias são capazes de transmitir sensações e de valorizar a decoração.

Entretanto, diversos fatores devem ser considerados no momento de elaborar o projeto da residência, como a proporção de lâmpadas em relação ao espaço, a temperatura da luz, a localização das luminárias, as características do ambiente, entre outros.

Por isso, o mais indicado é contar com a ajuda de um profissional especializado. No entanto, existem diversas regrinhas e dicas que todos deveriam conhecer. Quer saber quais são? Então, continue com a gente e aprenda a valorizar a iluminação de sua casa!

Escolha a iluminação de acordo com o ambiente

Escolher a iluminação de acordo com o ambiente é imprescindível, afinal, cada espaço tem as suas necessidades especiais. O ideal é que o quarto, por exemplo, receba luzes suaves e aconchegantes. O mesmo não ocorre com a cozinha, que deve ser bem clara.

Por isso, o primeiro passo é fazer um projeto personalizado para cada cômodo. É claro, porém, que os seus gostos pessoais devem ser levados em consideração. Por isso, pense nas sensações que você deseja despertar em todos os cantinhos de sua casa.

Para lhe ajudar, separamos as particularidades de alguns ambientes. Confira!

Sala de estar

A sala de estar é o cômodo onde relaxamos após um dia cansativo, vemos TV e recebemos amigos. Por essas razões, o ideal é que ela receba uma iluminação agradável e aconchegante.

A melhor maneira de obter esse efeito é investindo na iluminação indireta — que direciona o fluxo luminoso para o teto e espalha-se por todo o ambiente. Outra forma de criar uma sensação de aconchego é apostando em abajures e luminárias de piso.

Para destacar a decoração do ambiente, recomendamos a utilização da iluminação focal (ou direta) em alguns pontos específicos (objetos decorativos, estantes, aparadores etc.). Entretanto, não exagere na quantidade e nunca coloque lâmpadas refletoras em cima do sofá, poltronas e pufes, já que elas podem incomodar quem for sentar nesses locais.

Quartos

Assim como a sala, o quarto pede uma iluminação aconchegante e suave. Por isso, a luz uniforme e a indireta são as que dão melhores resultados nesse ambiente.

Você pode investir em abajures, luminárias (as com filtro de acrílico e vidro fosco são excelentes opções) em cima de um criado-mudo, por exemplo. Nesse caso, apenas tome cuidado de não projetar a luz na cabeceira da cama para não atrapalhar o usuário.

Como realizamos diversas atividades no quarto — ler, ver TV, dormir, se arrumar, descansar etc. — o ideal é investir na dimerização. Dessa forma, é possível controlar a temperatura e a intensidade da luz de acordo com as tarefas que serão desenvolvidas.

Cozinha

A cozinha é um local que merece uma iluminação clara e intensa, já que precisamos enxergar com precisão os alimentos. Por isso, o melhor é optar por lâmpadas brancas com alto Índice de Reprodução da Cor (IRC) — como as LED, halógenas e incandescentes.

Para que a iluminação seja ainda mais eficiente, uma dica é usar fitas de LED próximas às bancadas de trabalho (em baixo de armários, por exemplo). Além de melhorar a experiência de quem está cozinhado, esse recurso cria um efeito decorativo incrível!

Ah, vale destacar que quando a cozinha é integrada a outro ambiente, como a sala de jantar, o ideal é utilizar a mesma temperatura de cor nos dois cômodos.

Sala de jantar

Se você gosta de criar diferentes cenas de iluminação, a sala de jantar é o lugar ideal! Nesse ambiente, é possível brincar com diversos efeitos dependendo da ocasião — reunião com amigos, almoço em família, jantar romântico e refeições do dia a dia.

Você pode investir em dois focos de luz (vindos do teto) em cima da mesa para criar uma atmosfera intimista, por exemplo. Já para um ambiente todo iluminado, uma opção é a lâmpada difusa sobre o móvel — ideal para um almoço em família.

Veja outras opções:

  • um lustre em cima da mesa é sempre bem-vindo. Se possível, o recomendado é investir em um dimmer para controlar a intensidade da luz;
  • as arandelas também são excelentes opções para a sala de jantar, já que esse recurso cria uma iluminação indireta e aconchegante;
  • para destacar pontos específicos do ambiente, uma alternativa é investir em luminárias com luz difusa em cima de balcões e aparadores.

Banheiros e lavabos

Geralmente, os banheiros são os ambientes onde as pessoas mais cometem erros de iluminação. O problema é que, instalando luzes inadequadas, você poderá criar sombras no espelho, atrapalhando a experiência de quem se maquia ou faz a barba, por exemplo.

O ideal é que o local receba uma luz uniforme e intensa, principalmente perto da bancada da pia. Apesar do efeito decorativo, a luz de camarim deve ser evitada, já que ela cria sombras e tem uma temperatura muito intensa — fazendo com que o usuário transpire com facilidade. Nesse cômodo, uma boa opção são as lâmpadas difusoras.

Área externa

Sem dúvidas, a área externa é o ambiente que tem mais opções no que diz respeito à iluminação. Aqui, você pode utilizar o recurso para incrementar decorações já existentes.

As arandelas, por exemplo, são ótimos recursos para dar destaque a objetos específicos, como estátuas, chafarizes, jardins verticais e pequenas plantas. Elas também são indicadas para a fachada de casas, já que iluminam o espaço de forma sutil.

Para não errar, o ideal é definir alguns pontos de interesse da área externa. Se você tem uma vegetação bonita, por exemplo, as luzes devem ser direcionadas a ela. Já quem possui uma linda piscina pode investir em iluminação por fibra ótica, por exemplo.

Em todo caso, vale destacar que existem alguns pontos da área externa que devem receber uma luz clara e intensa. É o caso de corredores, garagens, escadas e degraus.


Outras dicas

  • a luz amarela e com baixa intensidade é ideal para áreas de aconchego. Já as brancas são mais indicadas para locais de trabalho (como a cozinha);
  • em ambientes com paredes escuras, o recomendado é optar por lâmpadas de maior intensidade (já que cores fechadas absorvem mais luz);
  • quando for possível, é interessante valorizar a iluminação natural;
  • lâmpadas incandescentes emitem luz agradáveis, porém consomem mais energia e têm uma temperatura muito intensa;
  • as halógenas são uma versão mais eficiente das incandescentes, já que gastam menos energia e têm uma maior vida útil;
  • lâmpadas fluorescentes estão disponíveis em uma variada gamas de cores agradáveis, além de consumirem pouca energia;
  • apesar de mais caras, as LED têm duração excelente e gastam pouquíssima luz elétrica.

Como percebemos, a iluminação tem um papel importantíssimo em uma casa. Além de criar diferentes efeitos, ela é a responsável pelo conforto e elegância de um ambiente.

Agora que você já sabe como escolher a iluminação certa para o seu lar, assine a nossa newsletter e receba diversas dicas sobre decoração, construção e muito mais!

Posts relacionados