piscina infantil

6 dicas para construir uma piscina infantil

Você tem filhos? Já pensou como uma piscina infantil em casa pode ser uma alternativa interessante? Num país de clima tropical como é o Brasil, o acesso à água para se refrescar durante os períodos de maior calor é um desejo geral.

Ir à praia ou ao clube pode ser complicado: além da preocupação com a higiene e a segurança num ambiente público, é necessário pensar nos deslocamentos, sempre levando boias, brinquedos e os amiguinhos a tiracolo.

Confira em nosso post dicas fantásticas para construir uma piscina segura e bonita!

Simulador Laredo

Como escolher o melhor modelo de piscina infantil?

Na hora de escolher um modelo de piscina para as crianças usarem, é necessário levar em consideração alguns aspectos, como segurança e conforto. O tamanho e a profundidade, por exemplo, precisam ser calculados para serem aproveitados por muitos anos.

Se forem muito pequenas e rasas só servirão enquanto os filhos forem bebês e serão abandonadas à medida que eles crescem. Porém, se forem grandes demais, podem oferecer riscos.

Em nosso país, a regulamentação da construção e manutenção de piscinas é feita pela NBR 10339/2018 da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), que indica padrões e elementos de segurança obrigatórios e opcionais.

As piscinas de fibra têm modelos a partir de 1.300 litros, mas os personalizados podem ser feitos a partir de 300 ou 500 litros. A definição da quantidade de água é calculada a partir da área disponível para a sua construção, incluindo a sua profundidade.

Quais as vantagens de uma piscina para crianças?

Para os pequenos, o contato com a água é uma forma de exercício muito benéfica, pois permite a livre movimentação sem medo de se machucar. Como a maioria ainda não sabe nadar, não é necessário muito espaço para a atividade.

Uma vantagem das piscinas infantis é que a sua construção tende a ser mais econômica quando comparada a modelos tradicionais, pois exige menos material e trabalho para sua construção.

Outro aspecto é que o gasto com manutenção também costuma ser menor, podendo ser realizado pelos próprios proprietários, sem precisar contratar uma empresa ou profissional apenas para a tarefa.

Além disso, fica mais fácil integrar espaços menores à área externa sem ter de abrir mão do jardim, da horta ou da churrasqueira, fazendo do local um ambiente para a família toda curtir e usar a todo o momento.

Piscinas são uma fonte de diversão, e mesmo as infantis podem ser um espaço para que crianças e adultos aproveitem o tempo livre. A sensação refrescante ao estar em contato com a água, mesmo que não seja possível nadar, já é suficiente para curtir com o (a) parceiro (a) ou com os amigos no fim de semana.

E quem vive num condomínio fechado de alto padrão geralmente pode contar com raias ou piscinas grandes para quando bater a vontade de nadar ou se exercitar.

O que considerar na construção da piscina?

Decidiu que construirá uma piscina em casa para os filhos? Confira nossas 6 dicas:

1. Elabore um projeto

Qualquer construção ou reforma requer um planejamento para evitar problemas na execução ou mesmo no futuro, como rachaduras ou vazamentos. No caso das piscinas, o melhor é contratar um arquiteto ou engenheiro para elaborar os cálculos e decidir sobre o modelo e material mais adequados para atender às suas necessidades e desejos.

Vale lembrar que a preocupação não deve ser apenas com o tanque em si, mas é preciso  considerar também o maquinário e estrutura para a manutenção, os equipamentos de segurança, a incidência de sol, a proximidade de telhados (evitando respingos durante as chuvas), de árvores (que podem sujar a piscina e comprometer a qualidade da água) e o vento.

É interessante fazer uma pesquisa sobre a porcentagem máxima de área construída permitida na sua região, para saber quanto tem de disponível para a sua piscina infantil.

2. Contrate uma empresa especializada para a execução

A construção de uma piscina exige cuidados específicos. O ideal é contar com uma equipe especializada para todas as etapas (escavação, caixa de concreto, instalações, revestimentos/acabamentos).

Para integrar o novo elemento à paisagem, pode ser interessante entrar em contato com um decorador ou paisagista, que fará os ajustes necessários para que sua piscina valorize o visual da casa como um todo.

3. Utilize materiais de boa qualidade

Economizar é sempre uma atitude sensata, mas no caso da construção de piscinas, certifique-se de que os materiais usados sejam de ótima qualidade. Um deck de madeira sem o tratamento adequado, por exemplo, pode apodrecer em pouco tempo e causar acidentes.

A mesma orientação se aplica na hora de escolher acessórios, como escorregas ou fonte de água: verifique o selo do INMETRO e pesquise bastante antes de efetuar a compra para evitar arrependimentos e dores de cabeça.

4. Coloque escadas para facilitar o acesso

Escadas na estrutura da própria piscina ou modelos removíveis permitem que a criança possa entrar em sair da piscina sem dificuldades. Mas fique atento à estrutura, que deve ter corrimão e à durabilidade dos degraus, que devem ser trocados de acordo com a especificação da fabricante.

5. Use revestimentos antiderrapantes no entorno

Escolher um pisco para a área da piscina deve obedecer a alguns parâmetros.

O primeiro diz respeito ao material, que deve ser adequado para uso em áreas externas, com exposição prolongada ao sol e à umidade, mas o melhor é que não esquente muito, diminuindo o desconforto ao caminhar. Os pisos mais adequados e utilizados são: ardósia branca, madeira tratada, porcelanatos de uso específico, mármore travertino bruto (não polido), pedras São Thomé (verdadeira), Goiás e Minas.

O material usado deve ser poroso e áspero, a fim de evitar escorregões e tombos, principalmente durante o uso. Mesmo assim, as crianças devem ser instruídas a não correr em volta da piscina.

6. Invista em segurança

O Conselho Científico de Segurança da Criança e Adolescente da Sociedade Brasileira de Pediatria oferece boas indicações para promover a segurança em uma piscina infantil ou adulta. Os principais elementos, além dos já citados no artigo, são:

  • cercado físico — grade ou cerca de proteção — com altura mínima de 120cm e um portão com trava para fechamento automático;
  • cobertura estrutural de material resistente — até 120 quilos — sobre a área da piscina, quando ela não estiver em uso;
  • maquinário de manutenção deve ficar desligado durante o uso da piscina;
  • equipamentos de segurança pessoal devem ser usados pelas crianças até quatro anos (ou que não saibam nadar, independentemente da idade);
  • presença de um adulto que não esteja sob influência de drogas (lícitas ou ilícitas).

Agora é hora de planejar a construção de  uma bela piscina infantil para ser aproveitada pelos pequenos nos dias de sol. Afinal, o lar é o lugar de ser feliz e brincar!

Que tal receber mais dicas e informações para fazer da sua casa um espaço cada vez melhor para você e sua família? Então não deixe de assinar a nossa newsletter!

Posts relacionados