7 cuidados com a casa em viagens longas

7 cuidados essenciais com a casa em viagens longas

Viajar com a família é divertido. Ajuda a manter os laços próximos e criar boas lembranças, mas, especialmente para quem mora em casas, pode representar preocupação constante sobre como deixar a residência fechada, por um longo tempo, sem comprometer a segurança. Neste artigo, vamos mostrar os cuidados com a casa em viagens, por meio de dicas simples e eficientes de como garantir a integridade do seu imóvel durante a sua ausência.

Antes de começarmos, porém, vale lembrar que morar em casas traz muitas vantagens, inclusive uma garantia maior de privacidade, e que a preocupação um pouco maior com a segurança não muda o fato de que, normalmente, é nelas que se alcança uma maior qualidade de vida.

Para manter a sua casa segura, o ideal é morar em um bom condomínio fechado, no qual esse cuidado está em todos os lugares. No entanto, nem sempre isso é possível. Por esse motivo, é importante seguir algumas recomendações de especialistas de segurança para cada tipo de situação: desde se resguardar contra a ação de criminosos à proteção contra acidentes e fenômenos naturais.

 

1. Mantenha a discrição

A primeira delas é não deixar que seu plano de férias se torne conhecido por muitas pessoas, sejam eles vizinhos ou estranhos. Quanto mais gente souber, maior risco de que essa informação seja captada por pessoas mal-intencionadas.

Antes de viajar, por garantia, verifique se todas as janelas estão fechadas e as portas estão bem trancadas. Refaça essa operação, pelo menos, duas vezes. Não se esqueça de suspender assinaturas de jornais e revistas. Ver revistas e jornais empilhados na porta de sua casa chama a atenção de possíveis invasores.

Outra boa estratégia é usar lâmpadas de fotocélulas, que não gastam eletricidade durante o dia e dão a impressão que existe alguém na residência à noite. Elas também são uma boa forma de se economizar energia.

2. Atente-se aos itens valiosos

Proteja os seus objetos de valor, como joias, obras de arte e outros itens que possam despertar a cobiça. O que se recomenda é evitar mantê-los em casa, até se você tiver um cofre. Mesmo que as peças estejam seguradas e o seu imóvel bem protegido com seguro, câmeras e outros sistemas de proteção, ainda assim é um risco desnecessário.

Uma opção é deixá-los em cofres de bancos ou empresas especializadas em segurança patrimonial. Esses estabelecimentos têm condições muito melhores de manter esse tipo de patrimônio a salvo.

3. Previna um amigo com quem possa contar

Ao viajar, sempre deixe informações de seus contatos com um amigo ou vizinho, e inclua nessa relação nomes e informações das pessoas que prestam serviços na sua casa, como o do encanador, eletricista, serviços de jardim, serviço de piscina e outros.

Também é importante informar sobre o período em que você estará longe para um vizinho próximo, pedindo que ele observe possíveis movimentações suspeitas ao redor de sua moradia.

Caso aconteça algo assim, ele pode avisar à polícia, à empresa de segurança ou informá-lo, para que você possa cuidar disso.

Caso você não more em um condomínio e tenha uma companhia de segurança ou um vigia de rua, notifique à empresa ou a esse profissional que você vai ficar fora por um longo tempo.

4. Assegure-se que eletrodomésticos estão desligados

Os pequenos eletrodomésticos, como computadores e televisores, devem sempre ser desconectados da tomada. O ideal, no entanto, é desligar todos os disjuntores da casa, exceto aqueles relacionados às geladeiras, aos sistemas de alarme e os de irrigação automática, que precisam estar sempre ligados. A mesma orientação vale para os detectores de fumaça, que devem estar em boas condições de funcionamento e com a bateria carregada.

5. Aposte no monitoramento com câmeras

Os cuidados com a casa em viagens podem incluir as câmeras de monitoramento, que são indispensáveis nas residências que não ficam em condomínios fechados. Além de sensor de som e movimento, algumas câmeras oferecem recursos de detecção de voz, vídeos de alta resolução e suporte para comandos de voz. Existem modelos para áreas externas que sabem diferenciar o movimento de pessoas e animais e tem um sensor de resolução 4K.

Também é possível assinar um serviço online, que permite o acesso a vídeos armazenados remotamente, em forma de clipes, podendo ser vistos sempre que você quiser.

6. Apele para a tecnologia

Instalar sistemas de segurança que incluam, além das câmeras de monitoramento de que falamos acima, cercas elétricas e alarmes, pode ser uma boa opção. Há sistemas que permitem acompanhar, via internet e aplicativos, como está o movimento da sua casa, a partir do seu celular ou computador.

Em caso de invasão, o sistema envia alerta de intrusos. Se desejar, também pode, a distância, ativar e desativar o alarme de sua casa, facilitando o acesso de pessoas que precisem prestar serviços internos ou externos à residência e retomando a segurança quando necessário.

O “estado da arte” para se manter uma residência em segurança são as “casas inteligentes”. Elas são resultado da revolução digital, aliada ao advento da chamada Internet das Coisas (IoT ou Internet of Things, em inglês), que fez surgir dispositivos mais modernos, como automatização das atividades domésticas diárias, além da ampliação da segurança residencial.

7. Avalie a possibilidade de fazer um seguro

Quem quer uma garantia maior pode optar por contratar um seguro residencial, que oferece proteção contra explosões, incêndios ou queda de raios, além de apresentar coberturas adicionais contra danos elétricos, vendaval, furtos, inundações e roubos.

Os seguros residenciais têm valores acessíveis, que variam de acordo com a cobertura contratada, e são muito fáceis de se adquirir.

Nesse texto, enumeramos sete dicas e, com elas, vários macetes de como manter a sua casa mais segura durante as suas viagens com a família. Essas preocupações vão desde os cuidados contra invasões por terceiros até os riscos proporcionados pelas estruturas elétricas ou hidráulicas, além dos fenômenos naturais, como raios e vendavais.

A sétima e última dica é voltada para quem quer garantir a integridade de seu patrimônio, mesmo que as prevenções não funcionem. Seguros residenciais são produtos com um amplo leque de possibilidades de cobertura e que estão acessíveis a qualquer pessoa ou família.

Se você também se preocupa com a segurança dos seus amigos e quer que eles também conheçam essas dicas de cuidados com a casa em viagens, compartilhe esse texto em suas redes sociais. Eles, certamente, vão agradecer!

Posts relacionados