Jardim Vertical: como usar na decoração da sua casa? Confira!

Jardim Vertical: como usar na decoração da sua casa? Confira!

 Sabe-se que o contato com a natureza faz muito bem à saúde. Além do convívio com animais, a presença de plantas também tem efeitos terapêuticos, aliviando o estresse e melhorando a sensação de bem-estar no dia a dia. Para as crianças, principalmente, a falta deste convívio pode levar a um quadro de Transtorno de Déficit de Natureza (TDN), com impactos negativos no seu desenvolvimento.

Isso explica o fato de cada vez mais pessoas fazerem questão de trazer mais verde para o lar, inclusive, nas áreas internas. Para otimizar seu espaço, decorando-o de maneira prática, funcional e sustentável, conheça as vantagens de cultivar um jardim vertical!

 

O que é um jardim vertical?

Um jardim vertical nada mais é do que um jardim instalado na parede ou em uma estrutura suspensa. A solução — que surgiu como uma forma de economizar espaço — logo se mostrou um valoroso recurso paisagístico.

Belo e versátil, ele caiu no gosto dos decoradores e passou a ser usado em diversos locais, renovando, até mesmo, os menores ambientes.

Tamanha adaptabilidade tem relação direta com a escolha das espécies, a qual deve considerar o clima da região, bem como com as condições de luminosidade e de ventilação naturais presentes nos cômodos onde será instalado.

Como é feita sua estrutura?

Existem diversas maneiras de montar um jardim vertical. Boa parte dos suportes é vendida pronta em home centers.

Na hora de escolher, prefira os de materiais mais resistentes, especialmente se ficarem expostos à ação de intempéries, como sol, chuva e umidade.

No entanto, muitos decoradores preferem usar painéis (de madeira de demolição ou de pinus de reflorestamento, por exemplo) sob medida, os quais servem de base para cachepôs de fibra de coco, vasos de cerâmica, caixas de aço galvanizado etc.

Para quem está disposto a fazer uma reforma, é possível utilizar blocos de concreto com relevos ondulados ou instalar módulos cerâmicos (mais leves e duráveis) com sistemas de drenagem e irrigação automáticos.

Já para quem tem boas habilidades manuais e deseja economizar, há alternativas simples, como pendurar dois ou mais vasinhos de PVC em uma mesma corda.

Outra solução é fazer a estrutura para o jardim aproveitando paletes ou treliças; garrafas pets cortadas e interligadas com cordas; calhas cortadas e com as laterais fechadas; latas cortadas e fixadas nas paredes; entre outras.

Como usá-lo na decoração?

Para se inspirar, confira algumas maneiras de usar o jardim vertical para dar vida nova à decoração do imóvel, dentro e fora do lar:

Na cozinha ou na varanda gourmet

Pode-se montar um pequeno jardim vertical aromático, repleto de ervas, temperos do dia a dia e/ou condimentos exóticos. Se preferir, escolha vegetais de raízes curtas, como cebolinha, tomate-cereja, entre outros, e transforme-o em uma horta orgânica.

Para dar acabamento na parede, uma boa dica é revestir o entorno da estrutura usada como base do jardim com ladrilhos hidráulicos.

Móveis de madeira com futons coloridos completam o visual despojado, deixando o ambiente pronto para receber o jardim vertical.

Na sala de estar ou de jantar

Escolha uma superfície de destaque e use folhagens, como columeias, peperômias e samambaias, para forrá-la por completo, conferindo à instalação o status de obra de arte.

Lembre-se de que, para obter um jardim vertical bem denso, evitando que a estrutura apareça, é preciso usar plantas pendentes e semipendentes, com folhas ou ramos que saem da base.

Em relação ao restante do décor, não se preocupe: os tons de verde trazem cor aos ambientes integrados sem interferir na escolha do mobiliário, tapeçaria e demais objetos decorativos.

Nos quartos ou nos banheiros

Ainda que estes cômodos não costumem ter muitas áreas livres, vale a pena reservar uma parede (ou parte dela) para montar um jardim vertical.

Ao eleger as espécies, opte por aquelas com propriedades aromáticas, as quais disfarçam possíveis odores ruins e trazem sensação de limpeza aos ambientes. O jasmim, com seu cheiro adocicado, é um bom exemplo.

Na sacada ou na fachada

Tire proveito de locais à meia sombra e escolha espécies que precisam apenas de luz solar indireta para florescer, como as coloridas falenópsis, cujas tonalidades variam entre púrpura, rosa, amarela e branca.

Para um visual bem adensado, opte por orquídeas, bromélias, ripsális, begônias, véu-de-noiva, hera, jiboia, lanterna-chinesa, entre outras.

Se o local receber sol pleno, ou seja, diretamente, plantas como a tilândsia, a flor-de-coral (conhecida como russélia), o lambari-roxo, o aspargo, o aspargo rabo-de-gato, o cróton, a barba-de-serpente, a vinca pendente, entre outras, são recomendadas.

No quintal ou próximo à piscina

É possível ampliar a área verde da residência, transformando o muro ao fundo do imóvel em um jardim vertical com ar tropical.

Trata-se de uma solução simples, a qual permite dar mais profundidade ao gramado, por exemplo, além de atrair borboletas e passarinhos.

Lembre-se, porém, de considerar a ação do sol, do vento e da umidade, optando por espécies mais resistentes. Além disso, evite as que soltam muitas folhas, por conta da proximidade com a piscina.

O que o torna prático, funcional e sustentável?

Além da questão estética, o jardim vertical reúne muitas qualidades. Em relação à praticidade, ainda que aceite qualquer tipo de rega, vale a pena instalar um equipamento para irrigação por gotejamento.

Isso porque o sistema automatizado assegura que a água seja oferecida na dosagem certa, alcance o substrato e esteja disponível nos momentos mais adequados para as espécies.

Além disso, as paredes verdes exigem pouca manutenção. Basta tirar as folhas secas, fazer a poda e oferecer a adubação foliar (com um borrifador caseiro), em média, a cada dois meses.

No que diz respeito à funcionalidade, o jardim vertical serve tanto para camuflar paredões de concreto, dando uma vista nova a varandas antes desprivilegiadas, como para esconder aquecedores, por meio plantas instaladas em painéis móveis.

Ele também é útil para reduzir os ruídos externos, aumentando o isolamento acústico do ambiente no qual se insere.

Já em relação à sustentabilidade, a parede verde ajuda a economizar energia elétrica, pois diminui a temperatura do ambiente de maneira natural, oferecendo maior conforto térmico para os moradores e dispensando o uso do ar-condicionado.Por tudo isso, esse recurso paisagístico é considerado unanimidade entre os amantes da natureza.

E você? Gostou das dicas sobre como montar um jardim vertical, harmonizando diferentes formas, tamanhos, texturas e tonalidades, para decorar seu lar e, de bônus, melhorar a qualidade de vida da família?

Siga as nossas redes sociais e confira outros conteúdos tão interessantes como este! Estamos no InstagramFacebookLinkedIn e Twitter!

Posts relacionados