quarto planejado

Quarto planejado: saiba como organizar o seu

A privacidade dos dormitórios pode esconder uma bagunça daquelas. Diferentemente dos cômodos sociais, que ficam sob o olhar de toda a família, neles basta fechar a porta e fingir que está tudo bem. No entanto, além de não resolver o problema, esse tipo de atitude pode impactar negativamente na qualidade de vida de seu proprietário.

Para acabar de uma vez por todas com a temida desordem, esqueça os improvisos e invista em um quarto planejado!

Neste post, saiba como se organizar para ter um projeto sob medida e aproveitar seu cantinho com orgulho! Confira!

Simulador Laredo! Clique e conheça nossos projetos

Quais são as vantagens de ter um quarto planejado?

Um quarto planejado, onde cada espaço foi idealizado para ser melhor aproveitado — de acordo com os desejos e necessidades do seu dono — traz uma série de benefícios. Além de otimizar o espaço, destacam-se:

  • mais conforto, pois é possível escolher móveis ergonômicos e, acredite, usá-los no dia a dia (a cadeira, por exemplo, não estará mais enterrada sob uma pilha de roupas);
  • mais tranquilidade, pois um ambiente bem-arrumado ajuda a ter noites revigorantes;
  • menos atrasos, pois quando as coisas estão no seu devido lugar, ninguém perde tempo nem se estressa procurando-as;
  • mais economia, pois é possível visualizar os pertences e, assim, evita-se a aquisição de itens semelhantes ou, por vezes, iguais aos que você já possui.

Como se organizar para fazer seu quarto planejado?

Todos — casais ou solteiros, adultos ou crianças — podem ter um quarto planejado como sempre desejaram.

Mas para o investimento valer a pena e realmente resolver os dilemas da falta de espaço, deve-se fazer um pré-projeto.

Veja, a seguir, o que precisa ser levado em conta e, antes de procurar o projetista, liste o que considera indispensável ter no cômodo.

Características físicas

A primeira providência é medir a área útil (paredes e pé direito) para a instalação do mobiliário. Meça também os espaços para a abertura de portas e janelas, os quais precisam ficar livres. Nem a passagem nem a ventilação podem ser bloqueadas.

Avalie, ainda, as condições de luminosidade natural para fazer um projeto luminotécnico eficiente. Além de tornar o quarto mais aconchegante, a iluminação pode torná-lo mais funcional.

Quem tem o hábito de se maquiar, por exemplo, precisa de luzes na penteadeira. Já quem gosta de ler, mas não quer incomodar o parceiro, precisa de uma luminária perto da cabeceira, apenas do seu lado da cama.

As especificidades variam de acordo com cada usuário. Mas se forem pensadas com antecedência, pode-se instalar a parte elétrica sob a marcenaria, deixando o ambiente ainda mais prático e bonito.

Modo como o ambiente é usado

Fora o estado civil e a idade, o estilo de vida do(s) dono(s) do quarto serve para nortear quais móveis são necessários.

Afinal, além de dormir o cômodo pode ser multifuncional, servindo para se vestir/maquiar, assistir filmes e séries, estudar, trabalhar, meditar, ler etc.

Há dormitórios que contam, inclusive, com uma pequena sala integrada, ideal para tomar café da manhã ou fazer pequenas refeições.

Acerte na decoração! Clique aqui e baixe o e-book

Quantidade e tipos de roupas e calçados

Quem tem muitas peças longas (vestidos e sobretudos, principalmente) pode aproveitar o canto entre duas paredes para criar um compartimento mais alto e profundo. Dessa maneira é possível guardá-los sem amassar.

Já quem usa vestimentas mais casuais (camisetas de malha e blusas de moletom, por exemplo) precisa de várias gavetas ou prateleiras para armazená-las dobradas.

A parte da sapateira deve ser bem arejada, por isso considere a quantidade de pares a serem armazenados para que não fiquem abarrotados.

Quem tem botas de cano longo deve pedir um compartimento mais alto, para organizá-las sem precisar dobrar; quem tem muitas sapatilhas e rasteirinhas faz bom uso de prateleiras mais estreitas; e assim por diante.

Outros objetos guardados no cômodo

No quarto de casal, geralmente, é preciso reservar parte dos móveis para guardar roupas de cama e de banho. Para não ocupar o guarda-roupas, pode-se aproveitar o box da cama e/ou instalar armários aéreos sobre ela.

No quarto das crianças é essencial criar compartimentos para guardar os brinquedos e os materiais escolares.

No quarto de jovens, principalmente praticantes de esportes ao ar livre, podem existir trajes e equipamentos que exijam um armazenamento diferenciado. Por isso, antes de fechar o projeto de interiores é preciso avaliar cada necessidade individualmente.

Estilo de decoração favorita

Você pode indicar um estilo de decoração (escandivana, minimalista, industrial, bohemian chic, rústica, entre outras) para o profissional responsável por dar vida ao projeto ou definir, junto a ele, as características gerais. Entre elas:

  • cores dos móveis, considerando a tonalidade das paredes do quarto;
  • tipo de acabamento das superfícies (MDF ou madeira, geralmente);
  • uso de espelhos interna ou externamente;
  • portas com aberturas de correr ou convencionais;
  • modelos de puxadores de portas e gavetas etc.

É preciso fazer um investimento muito alto?

Não necessariamente. Depende do quão exclusivo você deseja que o projeto seja. Se for assinado por um arquiteto/designer de interiores renomado, com certeza será mais caro.

No entanto, as lojas de móveis planejados contam com projetistas capacitados para entenderem as necessidades e desejos dos clientes, criando layouts que os satisfaçam e caibam no orçamento.

Isso torna a possibilidade de ter um quarto planejado muito mais acessível. Existem até pacotes para fazer a casa inteira planejada por um valor especial, dividido em parcelas.

Como baratear o custo de um projeto de interiores?

Portas e gavetas costumam encarecer o projeto, pois têm mais ferragens (dobradiças, trilhos e armações), além de uma mão de obra mais trabalhosa.

Por isso, reduzir esses itens e optar por uma marcenaria aberta, com bastante nichos e prateleiras, é uma boa estratégia para economizar.

Outra boa dica para economizar é investir em planejados com design atemporal. Evite modismos (como escolher a cor do ano para as portas) e aumente o custo/benefício do investimento.

Quando vale a pena fazer um quarto planejado?

Fazer móveis planejados vale a pena para quem mora em um imóvel próprio. Afinal, trata-se de um investimento custoso para ser deixado para trás ao término do contrato de aluguel.

Móveis comprados prontos nunca conseguem aproveitar o espaço da melhor maneira possível. Já os feitos sob medida, além de otimizarem a área, facilitam o dia a dia dos moradores e ainda ajudam a valorizar o imóvel.

Por isso, o investimento em um quarto planejado vale tanto a pena — ainda mais quando cada compartimento foi pensado para atender seu proprietário da melhor maneira possível, como ensinado neste artigo.

Se você achou este conteúdo interessante, que tal receber outras dicas relacionadas à construção e decoração no seu e-mail, sem qualquer custo? Aproveite para assinar a nossa newsletter!