decoração escandinava

Decoração escandinava: 5 coisas que você precisa saber sobre essa nova tendência!

Ambientes clean, bem-iluminados e arejados, onde predominam materiais de origem natural e tons neutros, são característicos da decoração escandinava — uma das tendências de design de interiores que mais agradam os adeptos do estilo “menos é mais”. Também, pudera: minimalista, mas sem deixar o conforto e o requinte de lado, ela saiu dos países nórdicos para ganhar fãs mundo afora, adaptando-se tanto a regiões frias quanto ao calor dos trópicos.

Para saber mais sobre essa proposta e aprender como trazê-la para dentro da sua casa, acompanhe este post!

Thai Residence

O que é o conceito escandinavo?

O conceito escandinavo representa o estilo de vida praticado pelos habitantes da Dinamarca, Suécia, Noruega, Finlândia e Islândia.

Nesses países, as pessoas transformam seus lares em redutos de aconchego, ideais para passar a maior parte do tempo livre e receber os amigos — visto que, por conta das baixas temperaturas, se deslocar pelas ruas não é das tarefas mais agradáveis.

Por evitar excessos e valorizar o que realmente importa quando o assunto é morar bem, a decoração escandinava se tornou uma tendência mundial.

Porém, não pense que se trata de um fenômeno recente: na primeira metade do século XIX, com o advento da produção industrial, esses países fizeram questão de preservar suas tradições artesanais, criando mecanismos para que se tornassem produtos de excelência. Daí vieram as bases do design escandinavo.

O que caracteriza uma decoração escandinava?

Por mais que o resultado final pareça difícil de ser obtido por quem não é expert em design de interiores, basta desconstruir os elementos que compõem uma decoração escandinava para entender como é fácil se inspirar na tendência.

Confira, um a um, quais itens não podem faltar no estilo nórdico. Depois, é só combiná-los para compor ambientes dignos de mostras de arquitetura!

1. Paredes neutras

Nos países do Norte da Europa, os dias são mais curtos. Por isso, toda forma de valorizar a luminosidade é bem-vinda. Paredes monocromáticas, predominantemente brancas, também ajudam a destacar os móveis, quadros e outros objetos no décor.

Por aqui, graças à boa incidência da luz solar, é possível variar na escolha das cores, desde que pertençam a uma paleta com tonalidades claras. Cinzas e beges suaves, assim como tons pastel, compõem a gama de possibilidades.

Já quando é preciso criar contrastes, o preto não pode ficar de fora. Em alguns ambientes, como em quartos infantis, o emprego pontual de cores intensas também é bem-vindo.

2. Iluminação abundante

Por falar em luminosidade, durante o dia cabe às janelas amplas e aos grandes vãos deixar a luz natural entrar em casa, aumentando a sensação de amplitude. Apenas tome cuidado para que o sol não desbote os móveis e as tapeçarias. Previna-se usando cortinas ou persianas com tecidos tecnológicos anti-UV.

Já no período da noite, um bom projeto luminotécnico deve clarear, criar uma atmosfera intimista e, ao mesmo tempo, valorizar a arquitetura do imóvel. Uma boa dica é investir em uma luminária de chão e em algum pendente de impacto, ambos com traços simples e linhas retas.


3. Materiais naturais

Assim como o piso, o mobiliário com linhas retas e elegantes (na maioria das vezes sem puxadores) costuma ser de madeira e receber acabamento natural, de modo a valorizar a matéria-prima.

O aconchego é reforçado pelo uso de almofadas, tapetes, mantas e colchas em tecidos naturais, volumosos e, geralmente, lisos ou com estampas geométricas (listrados ou chevron). Peças em lã, algodão, linho, couro e metal também se mostram presentes, assim como vasos com plantas.

4. Peças de design

As peças de design estão presentes tanto no mobiliário assinado quanto em objetos menores, mas sempre prezando pela ergonomia e pela funcionalidade. Afinal, na decoração escandinava não há espaço para acumular itens sem sentido.

Em relação aos quadros, pôsteres e porta-retratos, molduras simples são as mais indicadas. Em vez de pendurá-los nas paredes, é possível apenas apoiá-los sobre bancadas, prateleiras ou até mesmo no chão, encostados nos rodapés.

5. Criatividade e despojamento

Uma horta cultivada em potes de vidro, em latinhas pintadas ou outros tipos de recipientes aproveitados tem tudo a ver com a proposta. Aliás, a improvisação — no melhor estilo DIY (“do it yourself” ou “faça você mesmo”) — é uma das facetas da decoração escandinava.

Muitas vezes, o mobiliário nobre convive com escadas antigas usadas como estantes; banquetas são transformadas em mesinhas laterais; cavaletes servem de base para mesas de escritórios; lâmpadas de filamento de carbono fazem a vez de pendentes (que têm apenas os soquetes e fiação propositadamente aparente) etc.

Como incorporar a tendência nórdica dentro de casa?

Independentemente do que ditam as tendências de decoração, a sustentabilidade nunca sai de moda. Por isso, nada de se desfazer das peças que já tem em casa para, simplesmente, substitui-las por elementos com inspiração nórdica.

Em vez disso, para inovar nos ambientes, combine-os com moderação — o resultado fica mais autêntico e interessante. Espaços rústicos, por exemplo, são facilmente adaptáveis ao estilo escandinavo: basta eliminar o excesso de acessórios country e combinar os móveis de couro e de madeira com alguns objetos contemporâneos.

Outra tendência em alta, o estilo industrial, inspirado nos antigos lofts americanos, também pode ser harmonizado com a decoração escandinava. Nesse caso, use cadeiras, poltronas e/ou sofás com inspiração nórdica, bem como algumas peças de tapeçaria para proporcionar mais conforto e elegância.

Para um visual equilibrado, o segredo é não superlotar os ambientes integrados — típicos do décor industrial. Também vale a pena trazer mais claridade para dentro dos cômodos por meio de paredes claras e um projeto luminotécnico eficiente.

Para concluir, não há regras, apenas bom senso. Lembre-se que o mais bacana da decoração escandinava é o emprego de poucos elementos de qualidade. O que importa é encontrar um estilo personalizado, que harmonize peças novas e antigas e, ao mesmo tempo, represente os gostos e predileções de todos os moradores da residência. Com isso em mente, qualquer projeto fica incrível!

O uso de plantas, por exemplo, é sempre uma boa ideia quando se trata de decoração. Mas para fugir do tradicional, a dica é investir em um moderno e estiloso jardim vertical!

Posts relacionados