Decoração sustentável

Decoração sustentável: por que você deveria investir nessa nova tendência?

Em um mundo marcado por tantos absurdos, a vontade de fazer nossa parte em prol do bem-estar coletivo se torna cada vez maior. A decoração sustentável, por exemplo, pode ser uma maneira de tornar o seu lar um lugar melhor para viver.

Dessa forma, você pode aliar qualidade de vida para a sua família, ao mesmo tempo que impacta positivamente a comunidade como um todo.

Para saber como a decoração sustentável pode deixar sua casa mais prática, funcional e, ao mesmo tempo, confortável e elegante, acompanhe este artigo!

Maui Residence

Por que a decoração sustentável vale a pena?

Mais do que decorar, a decoração sustentável cumpre sua função estética e, ao mesmo tempo, preserva o meio ambiente. Isso porque incentiva uma economia mais justa e cuida da comunidade, direta e indiretamente, envolvida.

Democrática, a decoração sustentável, oferece soluções bastante acessíveis, valendo-se da tecnologia e talento de designers renomados para satisfazer as necessidades e desejos dos proprietários de imóveis de alto padrão.

Assim, muito além do uso da reciclagem no décor — primeira imagem que costuma vir à mente, com paletes transformados em diversos tipos de móveis —, a ideia é deixar os espaços mais funcionais e confortáveis, além de bonitos.

A durabilidade também é importante, pois quanto menos descarte houver na natureza, melhor. Por isso, a qualidade de móveis e objetos sustentáveis não pode ser menos do que excelente.

Porém, não se trata de supervalorizar o custo das peças: para tornar os projetos de interiores economicamente viáveis, os profissionais empregam uma série de soluções criativas. De tão belos e interessantes, os resultados são dignos de capas de revistas!

O que são e como funcionam as chamadas green buildings?

Construções verdes (em tradução literal) nada mais são do que a aplicação dos conceitos de sustentabilidade aos projetos construtivos.

Isso porque, a tendência ecologicamente correta não se restringe à decoração, mas aparece na construção civil e no design como um todo.

Funciona assim: para ser considerada sustentável, uma casa deve atender às necessidades humanas com conforto e eficiência. Ao mesmo tempo, deve evitar desperdícios e gerar economia.

Isso implica em fazer escolhas (de materiais e tecnologias) que refletem em um menor consumo dos recursos naturais e, consequentemente, maior economia no orçamento doméstico, com redução direta nas contas de água, luz e gás.

Na prática, para que um projeto de interiores seja o mais sustentável possível, deve seguir três sistemas construtivos complementares:

  • intuitivo: reúne técnicas de bioarquitetura para que a construção tenha harmonia com o meio ambiente, principalmente o ecossistema no qual se insere;
  • passivo: reúne materiais que ofereçam bom desempenho na economia de água e energia, com ótimo custo/benefício para o proprietário e o planeta;
  • ativo: trata-se da automação para o uso mais eficiente da infraestrutura sustentável, com o intuito de otimizar o desempenho no consumo de água e energia.

Além disso, a mão de obra precisa estar antenada com o conceito de sustentabilidade e entender quais são as melhores maneiras de planejar e implantar as estruturas.

O resultado de tanto investimento, em longo prazo, é um imóvel que gera menos manutenção e se valoriza mais no mercado.

 

Como trazer o universo da sustentabilidade para o lar?

Este é um segmento em constante renovação. Na dúvida, um arquiteto ou designer de interiores com especialização na área pode orientá-lo.

Enquanto isso, confira cinco medidas para deixar sua casa mais ecológica e ter uma decoração sustentável.

Projeto arquitetônico eficiente

Grandes vãos, portas e janelas amplas e ambientes integrados garantem a ventilação cruzada. Já a implantação de um telhado verde e/ou de um jardim vertical, além de trazer a natureza para dentro do lar, colabora para o conforto térmico.

Isso por conta do microclima construído, o qual faz com que os ambientes fiquem menos quentes no Verão e mais agradáveis no Inverno, dispensando a necessidade do ar-condicionado.

A instalação de módulos fotovoltaicos e de painéis solares, por sua vez, dá conta da geração de energia e do aquecimento da água (tanto de chuveiros como de piscinas), respectivamente. Colocar redutores de vazão nas torneiras complementa a economia.

Além de priorizar a iluminação natural, com janelas grandes e panos de vidro, a iluminação artificial deve ser feita exclusivamente com lâmpadas LED, mais econômicas e duráveis, acompanhadas de sensores de presença.

Para completar, vale a pena investir em um sistema de irrigação automatizada, o qual aproveita a água da chuva e acerta no volume e frequência das regas, deixando os jardins mais bonitos, saudáveis e sem desperdiçar o valioso recurso hídrico.

Revestimentos ecológicos

Existem ladrilhos hidráulicos (não emitem gases com a queima em fornos), pastilhas de garrafa PET, tábuas de madeira de demolição, revestimentos de resina e tintas ecológicas (sem compostos que agridem a camada de ozônio), entre outras opções.

Além de darem vida a pisos e paredes preservando o meio ambiente e proporcionando acabamentos luxuosos, o ideal é que ofereçam bom conforto termoacústico para os moradores.

Móveis de manejo sustentável

Algumas matérias-primas contam com selos de certificação, os quais atestam sua origem sustentável, bem como a respectiva durabilidade e eficácia.

O selo FSC (Forest Stewardship Council), por exemplo, assegura o manejo florestal consciente — o que é importante para a escolha de móveis e diversas estruturas em madeira, especialmente imbuia, canela, araucária, mogno, entre outras espécies.

A indústria moveleira também oferece biomóveis, ou seja, peças maciças feitas com madeira de reflorestamento, principalmente pinus e eucalipto.

Além disso, existem os móveis de madeira de demolição, os quais fazem bonitos espaços gourmets com estilo rústico.

Restauração e reúso de móveis

Quanto menos o mobiliário for trocado, menos resíduos são gerados. Além disso, há o valor afetivo contido nas peças de família. Fora o fato de que, após serem reformadas, elas se tornam exclusivas!

Existem diversas técnicas de restauração que os deixam como novos, corrigindo problemas típicos do envelhecimento para que sirvam perfeitamente às necessidades do dia a dia e durem por muitas gerações.

Caso sua família não tenha móveis herdados, é possível garimpar verdadeiras relíquias de época em brechós elegantes.

Objetos de decoração artesanais

Em vez de entulhar os ambientes com produtos feitos em larga escala para grandes magazines, opte por objetos que contêm uma história. Há trabalhos manuais, como quadros, tapeçarias e cerâmicas, lindos, originais e de excelente qualidade, elaborados por designers e artesãos preocupados com a sustentabilidade em suas criações.

Daqui pra frente, o importante é que a preocupação com o meio ambiente sirva, cada vez mais, de guia para suas escolhas.

Lembre-se que, mesmo que materiais, móveis e objetos ecologicamente corretos custem mais caro do que os correspondentes feitos sem preocupação ambiental, o investimento vale a pena. Além disso, só a decoração sustentável é capaz de deixar sua casa mais bonita, eficiente e econômica!

Você gostou do nosso post sobre decoração sustentável? Que tal continuarmos discutindo sobre esse tema? Conte para nós da sua experiência, dê sugestões ou esclareça suas dúvidas, deixando um comentário neste post. Teremos prazer em respondê-lo!

Posts relacionados